terça-feira, 8 de agosto de 2017

Placar: Hino dos Times

Fala galera! Sou leitor da Revista Placar há muitos anos, assino desde Abril de 1995, quando a revista em mais uma (de muitas) metamorfose entrou com o lema "Futebol, Sexo e Rock´n Roll. De lá pra cá foram muitas edições históricas e conforme o tempo vai passando, mais saudade me dá daquela época. Hoje vou lembrar de uma edição que guardo até hoje (entre tantas).

Em 1996 a revista lançou a edição que vinha com o CD Hinos dos Grandes Brasileiros cantados por feras do rock e da MPB. Uma versão repaginada de cada um dos hinos de 15 grandes equipes do país, além do Rap das Torcidas, composição que abria a obra e pedia o fim da violência nos estádios.

Foi possível ouvir novas versões dos hinos de América, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, do Rio de Janeiro; Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, de São Paulo; Bahia e Vitória, da Bahia; Grêmio e Internacional, do Rio Grande do Sul; e Atlético e Cruzeiro, de Minas Gerais.

Entre os músicos se destacavam Tim Maia, na bela versão do belo hino do América do Rio, Beth Carvalho, Evandro Mesquita, João Penca e Roger, do Ultraje a Rigor. 

A edição teve 300 mil unidades vendidas, algo inimaginável nos dias de hoje, e nasceu de uma ideia de Marcelo Duarte, então repórter de Placar, que leu uma nota em um jornal do Rio, falando que o músico Pierre Aderne tinha a intenção de montar um projeto desse porte. Após conversas, o projeto saiu do papel e se tornou o sucesso que foi.

Esgotadas as edições, Placar tentou produzir mais discos, porém, o autor do hino do Palmeiras, Antônio Sergi, não gostou da versão gravada por João Gordo, e negou a autorização para a produção de mais CDs.

Em 2004 a revista lançaria uma nova edição com novas regravações, mas sem o mesmo sucesso da Versão 1996.

Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...