quarta-feira, 17 de maio de 2017

Primeira rodada do Brasileirão trouxe grandes jogos, algumas certezas e muitas dúvidas

Após dois meses e meio desde o início da temporada do futebol brasileiro, finalmente tivemos a rodada de abertura do nosso principal campeonato. O Brasileirão é a menina dos olhos de todo torcedor tupiniquim, mesmo aquele que sabe que seu time não irá disputar o título, uma boa campanha, mesmo sem a taça, já vale muito pela tradição da competição, os grandes jogos e o equilíbrio, que é a principal característica da nossa liga nacional.

Este equilíbrio foi, inclusive, o destaque das duas partidas do sábado. Na primeira, impossível uma melhor escolha para abrir o campeonato: Flamengo x Atlético-MG. O confronto é para muitos o maior clássico interestadual do país, tem páginas épicas na história da competição e significa hoje o embate entre dois dos favoritos ao título. Além de tudo isso, o jogo contou com um público de 50 mil pessoas no Maracanã.

No primeiro tempo, o Flamengo saiu vencendo por 1 a 0 e poderia ter feito mais gols, já na segunda etapa o Galo dominou os rubro-negros, empatou o jogo e poderia até ter virado. Por estar jogando fora de casa e mesmo assim conseguir se impor durante boa parte da partida e conquistar 1 ponto, o Atlético fica com um gostinho melhor na estréia do que o time da Gávea. Roger parece ter acertado finalmente o caminho que deseja para a equipe, que melhorou o desempenho nas últimas duas semanas. Já Zé Ricardo, viu seus comandados em sua apresentação mais insegura em meses.

O Corinthians de Fábio Carille era o claro favorito para o jogo em casa contra uma Chapecoense fragilizada, que vinha de três derrotas, sendo a última delas uma goleada na final da Recopa Sul-Americana para o Atlético Nacional (COL) por 4 a 1. Porém, o time catarinense demonstrou a solidez que faltou na Colômbia, com maior eficiência pra se defender e contra-atacar. O Timão, por outro lado, teve uma atuação abaixo daquelas que mostrou no mata-mata do Paulista e na Sul-americana. O empate em 1 a 1 foi justo pelo que os times fizeram em campo, mas pior para o Corinthians, que deixou 2 pontos escaparem em casa.

O domingo começou com a vitória do Fluminense sobre o Santos por 3 a 2, no Maracanã quase vazio. Abel Braga conseguiu levantar o ânimo de seu elenco após a derrota para o Flamengo nas finais do estadual e fazer uma apresentação segura, já que o tricolor foi melhor durante a maior parte do jogo e conseguiu abrir vantagem de dois gols no início do segundo tempo. O Santos ainda procura seu melhor futebol na temporada, atuou no Rio de Janeiro com o volante Yuri improvisado no lugar de Cleber na zaga e o meia Jean Mota na lateral esquerda, os dois foram mal e falharam em lances que resultaram em gols do Flu. Dorival ainda tem crédito e tempo para acertar a equipe, resta aguardar.

O outro confronto entre paulistas e cariocas na rodada foi no Allianz Parque, entre Palmeiras e Vasco. Pouca gente esperava um empate ou uma vitória do cruzmaltino diante do atual campeão. Os palpites se confirmaram com uma goleada por 4 a 0 para o Verdão. Cuca já começa a reimplantar seus conceitos de marcação individual, intensidade e pressão no seu time e os jogadores parecem mais a vontade. Já Milton Mendes terá trabalho com o Vasco. A diferença técnica para o adversário foi gritante na estréia e, mesmo quando o Palmeiras errou, o time carioca não soube aproveitar.

Em Minas Gerais, o Cruzeiro de Mano Menezes recebeu o São Paulo de Rogério Ceni, ambos pressionado após eliminações na Copa Sul-americana. Melhor para a Raposa, que venceu por 1 a 0 com atuação longe do ideal, mas superior em organização e contundência frente o tricolor paulista, que segue com grandes problemas a serem solucionados o quanto antes.

O Grêmio dominou o Botafogo durante toda a partida no Rio Grande do Sul na noite de domingo e venceu por 2 a 0 com tranqüilidade. O segundo gol foi irregular, pois a bola toca a mão de Luan, atacante do Grêmio, antes de chegar para Ramiro mandar para as redes. Porém, o Glorioso esboçou um futebol limitado e que não ofereceria grande perigo ao Grêmio mesmo sem o tento que ampliou o placar. Jair Ventura terá trabalho para manter a competitividade de seu elenco no Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.

Bahia e Atlético-PR fizeram o jogo mais surpreendente do primeiro fim de semana de Brasileirão. O Furacão estava vencendo por 2 a 1, mas o tricolor baiano fez 4 gols em 7 minutos e virou pra 5 a 2 ainda no primeiro tempo, em uma atuação de grande intensidade que deixou os vice-campeões paranaenses desnorteados. Na segunda etapa o Bahia fechou a conta em 6 a 2, resultado que garantiu a liderança da classificação na rodada de abertura.

A Ponte Preta teve domínio total diante do Sport em Campinas e goleou os pernambucanos por 4 a 0. O Coritiba também fez quatro gols no jogo de segunda-feira contra o Atlético-GO no Couto Pereira, mas os rubro-negros descontaram e a partida terminou com um 4 a 1 no placar. Já Avaí e Vitória protagonizaram o único 0 a 0 da rodada em Florianópolis.

Foram meses esperando pelo início do Brasileirão e a primeira rodada não decepcionou, com bons jogos, muitos gols e até momentos históricos como a blitz do Bahia pra cima do Atlético-PR. A primeira impressão mostra um cenário que tem o Palmeiras com um elenco tão capacitado, que pode vencer e golear mesmo sem ser brilhante, o que coloca o alviverde paulista como principal favorito ao título. Atlético-MG e Flamengo também vêm fortes, com o Galo um pouco a frente, mas o rubro-negro ainda espera o retorno de Diego, imprescindível para suas aspirações.

Grêmio, Fluminense, Cruzeiro, Corinthians, Santos e Ponte Preta formam um bloco intermediário, apesar da derrota do Peixe e do empate do Timão em seus primeiros compromissos. Coritiba e Bahia largam na frente entre os clubes com menor orçamento, o Coxa porém é mais promissor a longo prazo. Já São Paulo e Botafogo fizeram aparições abaixo do que podem e são incógnitas para a sequência do campeonato.

Os que mais preocupam são justamente os quatro componentes da zona do rebaixamento: Atlético-GO, Atlético-PR, Sport e Vasco. Os primeiros integrantes da zona da degola sofreram duras derrotas, goleadas que deixaram muitas deficiências em evidência e pouca capacidade para superá-las.

Esta, no entanto, foi apenas a primeira de 38 rodadas que prometem muitas reviravoltas, principalmente com as incertezas que um calendário apertado como o do futebol brasileiro traz. O importante é que os clubes saibam fazer a leitura correta deste primeiro momento, para corrigir o que não está bom e aperfeiçoar o que já dá certo.

Tarcísio Atomare
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...