quarta-feira, 7 de setembro de 2016

O grito da independência

O ano era 1999. A Seleção Brasileira era dirigida por Luxemburgo, e acabara de se sagrar campeã da América ao derrotar o Uruguai no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Pelo caminho, eliminou os argentinos com uma vitória por 2 a 1, com direito a pênalti defendido por Dida.

Já no mês de setembro do mesmo ano, dois amistosos foram agendados entre Brasil e Argentina, sendo um em cada país. A primeira partida, realizada no Monumental em Buenos Aires era considerada a revanche pelos hermanos, que em um bom jogo conseguiram sair com a vitória por 2 a 0 em uma fraca apresentação da Seleção Brasileira. Os gols estão no primeiro vídeo, a seguir:


A segunda partida dessa série de amistosos, a terceira dentro do mesmo ano, seria realmente aquela que definiria quem era o freguês de quem. O Estádio Beira Rio foi o escolhido para o tira-teima do ano.

E esse último amistoso foi em uma data especial: Dia 7 de setembro de 1999, dia da Independência do Brasil. Um clima patriótico tomou conta do estádio desde a entrada dos times. E além disso, ainda existia um ingrediente extra em tudo, que eram as escalações, realmente verdadeiras seleções.

E não poderia ter acontecido nada que não fosse um jogo histórico! Em uma tarde inspirada, Rivaldo marcou 3 gols e foi o grande nome daquele feriado. O Brasil venceu por 4 a 2 e definitivamente mostrou o motivo de poder ostentar as 4 estrelas no peito (até então).

Se você não se lembra, vou deixar o vídeo falar por mim.


Ficha do jogo

BRASIL 4 X 2 ARGENTINA

Data: 07/09/1999 (Terça-feira)
Local: Beira Rio, Porto Alegre (Brasil)
Árbitro: Oscar Ruiz (COL)
Gols: Rivaldo(Brasil), aos 40 e 42min do primeiro tempo e aos 25min do segundo tempo; Ayala(Argentina), aos 46min do primeiro tempo; Ronaldo(Brasil), aos 38min do segundo tempo; e Ortega(Argentina), aos 44min do segundo tempo;


Brasil:
Dida, Cafu, Antônio Carlos, Scheidt, Roberto Carlos, Vampeta (Marcos Assunção), Émerson, Zé Roberto (Juninho Pernambucano), Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho (Élber)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Argentina:
Bonano, Vivas (Hussaín), Ayala, Samuel, Zanetti, Verón (Schelotto), Redondo (Simeone), Sorín, Ortega - Crespo (Cláudio Lopez), Kili González (Gallardo)
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Me recordo deste jogo, inclusive vi os gols hj na tv. Rivaldo acabou com a partida.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade dessa seleção. O Luxemburgo saiu porque não tiveram paciência com ele, o Felipão acabou usando essa base pra montar a "Família Scolari".

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...