terça-feira, 2 de agosto de 2016

A invasão estrangeira

Não são os atletas que estão chegando para as Olimpíadas, esta "invasão" estávamos esperando e aguardando ansiosamente. Aliás, esta é bem vinda e nos preparamos, ou tentamos nos preparar para que aconteça. Quando falo em estrangeiros invadindo o país, não digo que é indesejada, mas percebo um exagero na quantidade de jogadores sulamericanos nos times de futebol do Brasil. Quantidade que me parece reveladora de uma decadência técnica evidente.

Não é de hoje que jogadores da América do Sul fazem sucesso em nosso futebol, porem era raro um mesmo clube da primeira divisão ter 3 ou 4 jogadores de fora no plantel. Mais raro, era estes jogadores virem para compor elenco. No geral, eram titulares absolutos e a qualidade deles era inquestionável, ou menos questionável, digamos assim.

Confesso que esta situação começa a me incomodar profundamente. Nada de xenofobia, nada disso. Sou a favor das trocas, acredito que quando se traz alguém melhor, ou vamos jogar em lugares de elevada qualidade técnica, acaba que somos beneficiados e no geral também melhoramos. Acontece que esta invasão não são de jogadores "inquestionáveis" tecnicamente. Há um tempo atrás vivíamos uma momento bem melhor da economia brasileira e nem assim fomos buscar os melhores jogadores estrangeiros.

De fato não dava para competir com os melhores e mais organizados campeonatos do mundo, porém foi no México que desembarcou o Gignac, jogador francês destaque na Europa, não um jogador em fim de carreira. Quando aconteceu, fiquei com um sentimento de "dor de cotovelo". Nada contra os mexicanos, mas os pentacampeões mundiais somos nós. Não adianta vir com o argumento de que foi um caminhão de dinheiro e que nenhum clube brasileiro teria capacidade de bancar. Até acho que pode ter sido não um caminhão de dinheiro, mas um trem cheio de vagões. Só que isso por si só não justifica, pois o que tem se gastado por aqui com vários jogadores, é absurdo. Atualmente, tem clubes da primeira divisão com mais de 5 jogadores. Será que se paga pouco pra essa legião?

Começamos a importar técnicos estrangeiros e nada mais natural que com o conhecimento deles chegassem jogadores que os mesmos conheciam. Também esta não me parece ser a explicação mais coerente. Não são os clubes que possuem ou possuíram em algum momento técnicos estrangeiros, é realmente uma tendência. Há pouco tempo atrás, estávamos atrás do camisa 10 em falta por aqui. Nesta batida vieram, Conca, Montijo, D'Alessandro para lembrar os que mais se destacaram. Agora são em todas as posições. Pela lógica, estamos mal em tudo, estamos carente em tudo no futebol.

Um alento é a seleção olímpica, pois há tempos que não tínhamos tantos jogadores promissores e com qualidades visíveis reunidos. É apenas um time, com um pouco mais de 11 jogadores jovens. Mas nos mostra que ainda podemos revelar. Muitos já vão partir na janela que se abriu no meio do campeonato brasileiro. Esta seleção participará da invasão do esporte, do maior e melhor evento esportivo, para quem de fato ama a prática esportiva em sua plenitude. Fica aqui um ponto de interrogação: Precisamos mesmo trazer tanta gente de fora? No mais é vida que segue e olimpíada que comece logo...

Diego Ribas
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...