quarta-feira, 4 de maio de 2016

Drazen Petrovic

Fala galera! Estava acompanhando agora a pouco a partida entre Toronto Raptors e Miami Heat pelas semi finais de conferência da NBA e vendo o lituano Goran Dragic em quadra, pelo time da Flórida, me lembrei de outro grande jogador do leste europeu, talvez o maior que já saiu de lá, Drazen Petrovic.

Lembro que quando comecei a acompanhar a NBA, ainda na época da Band, vários nomes me chamavam a atenção, entre eles estavam Magic Johnson, pra mim o melhor, Michael Jordan, Larry Bird, Patrick Ewing, John Stockton e Karl Malone. Logo depois surgiu um armador com potencial fantástico, nascido na então Iugoslávia, e que jogava com a 3 do New Jersey Nets, era ele, Petrovic.

Nascido em Sibenik, hoje Croácia, o armador começou a carreira jogando pela equipe local. Se transferiu para o Cibona até ser contratado pelo Real Madrid, da Espanha, em 1988, ano que faturou a prata olímpica pela Seleção Iugoslava.

Da Espanha para a NBA foi um pulo. Draftado pelo Portland Trail Blazers em 1986, ele continuou atuando na Europa por mais três anos antes de estrear pelo time do Oregon, onde ficou por uma temporada e meia. Chegou ao vice-campeonato da liga em sua primeira temporada, mas entrando no decorrer da partida.

Em janeiro de 1991 ele foi envolvido em uma troca entre o Portland, o Denver Nuggets e o New Jersey Nets, pra onde foi levado e se transformou em estrela. Logo na parte final da temporada já se transformou em peça chave da equipe, com média de 12,6 pontos por jogo, mesmo começando todas as partidas no banco.

No início da temporada 91/92 ele assumiu a titularidade da equipe, passando a marcar mais de 20 pontos por partida, e ajudou a levar os Nets aos playoffs, feito que não acontecia desde 1986. Marcou quase 25 pontos em cada uma das quatro partidas que disputou no mata-mata daquele ano, mas não foi suficiente para derrotar o Cleveland Cavaliers.

Em agosto de 92 ele faturaria sua segunda prata olímpica, agora pela Croácia, que perdeu a final de Barcelona para o Dream Team americano.

Quando Drazen voltou dos jogos olímpicos ninguém imaginava que essa seria sua última temporada. Foram mais 70 jogos disputados, levando os Nets novamente aos playoffs e novamente caindo na primeira rodada, dessa vez perdendo a série por 3x2, mas novamente para os Cavs.

A derrota no Richfield Coliseum, casa do Cleveland, no dia 9 de maio daquele ano, marcaria a última partida da curta e mágica carreira do croata. Menos de um mês depois ele sofreria o acidente que lhe tiraria a vida, nas estradas de Dekendorf, Alemanha.

Petrovic se foi e deixoua camisa 3 dos Nets imortalizada. Ainda em 93 a equipe de New Jersey retirou o número das quadras. Em 2002 entrou para o Hall da Fama do Basquete, em Springfield, considerada a maior honraria do esporte da bola laranja.

Pra quem não conheceu, alguns lances da partida entre Nets e Rockets em 93, com direito a atuação de gala de Drazen:


Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...