terça-feira, 29 de março de 2016

King Hiro

Fala galera! Hoje o clima tá tenso no Resenha Esportiva. É xingamento pra cá, xingamento pra lá, e o nascimento de um mito. Voltamos com os “Causos do Esporte” falando de uma lenda do automobilismo mundial, uma lenda japonesa que era especialista em... problemas!

O japonês Hiro Matsushita correu na Fórmula Indy entre os anos de 1990 e 1998. Disputou ao todo 117 provas, sem nunca marcar pole ou subir ao menos ao pódio. Correu pelas equipes Simon, Walker, Arciero-Wells e Payton-Coyne e ganhou o apelido de King (rei em inglês) por causa de mais uma de suas confusões, dessa vez com o brasileiro Emerson Fittipaldi.

Corria a temporada de 1993, Emerson sempre disputando as primeiras colocações, Hiro sempre no pelotão de retardatários. Em um dos ovais, o brasileiro coloca por fora pra dar mais uma volta no japonês, que muito lento e sem pensar duas vezes deixa o carro espalhar na curva, fechando a passagem de Emmo. Com muita astúcia o piloto da Penske consegue se livrar da batida e começa a gritar no rádio do carro “... King Hiro! ... King Hiro! God damn’it! ... King Hiro!”.

Ninguém entendeu nada... como um piloto como Matsushita, que vivia aprontando, era chamado de Rei Hiro pelo brasileiro?

A verdade é que as provas eram transmitidas pela ESPN2 para os Estados Unidos, e para evitar problemas, a emissora colocou um “beep” no início da frase, sendo assim, o que era pra ser um estrondoso “maldito Hiro” (fucking Hiro) virou um amável “Rei Hiro” (King Hiro), dando a um plebeu do automobilismo, um apelido pra lá de nobre.

Por hoje é só galera, fiquem por dentro das novidades do Resenha Esportiva em nosso Facebook.


Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...