sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Misha, o urso imortal

Se em uma postagem recente eu falei sobre cerimônias de abertura e sobre como uma Pira Olímpica não deve ser acesa, hoje vou para o outro extremo da competição: a cerimônia de encerramento. Mas, ao contrário daquela oportunidade, dessa vez eu vou falar sobre aquilo que deu certo, sobre uma cerimônia que entrou para a História como a mais marcante de todos os tempos. E esse marco possui a forma de um simpático urso e tem nome: Misha.

O ano era 1980. Os Jogos eram realizados em Moscou, capital da então União Soviética, e foram boicotados pelos estadunidenses. Pior para eles, que perderam a oportunidade de presenciar, além de grandes disputas, a marca que simbolizaria as Olimpíadas daquele ano.


A cerimônia de encerramento geralmente é marcada por pontos como a Pira Olímpica sendo apagada, uma ode ao próximo país sede e algumas danças folclóricas que porventura tenham sido deixadas de fora da cerimônia de abertura. Mas Moscou tinha mais a apresentar ao mundo. O mascote Misha, que acompanhou todo o desenrolar dos jogos, foi o astro maior daquela cerimônia. Em um jogo sincronizado de placas nas arquibancadas, fizeram com que ele chorasse o fim dos Jogos, naquela que se tornou a imagem mais emblemática de todas as cerimônias de encerramento. Ao final, a despedida apoteótica aos céus coroou Misha para sempre.

Quer conferir como foi? Acompanhe o vídeo e veja como os presentes também se emocionaram.




Misha foi mais longe do que qualquer outro mascote (com o perdão do trocadilho), se tornando uma marca mundialmente famosa e rendendo bons dividendos aos seus criadores, algo que foi curioso, pois veio justamente da URSS. Mas o mundo não estava preparado para simplesmente tê-lo apenas nas memórias. Nos Jogos Olímpicos de inverno de 2014, realizado em Sochi, na Rússia, eis que uma figura familiar aparece! Oficialmente, o mascote ficou sem nome para que todos nós pudéssemos rever aquela figura lendária na tela da TV. Na cerimônia de encerramento, o mundo olhava aquele urso (devidamente agasalhado com seu cachecol) com ar nostálgico, quando de repente... Bom, assistam ao vídeo abaixo:




A sua fama corre o mundo esportivo até os dias de hoje. Tanto que o Comitê Olímpico, durante uma promoção dos Jogos do Rio 2016 "convidou" alguns mascotes de Olimpíadas anteriores. Chamaram justamente aqueles das últimas competições (2012 em Londres, 2008 em Pequim, 2004 em Atenas) e... e... o de Moscou 1980! Sim, ele tem moral...



 

Por essas e outras que podemos dizer: Misha é o urso imortal!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Esse, com certeza absoluta, é um dos personagens mais marcantes da história olímpica. Acredito que a pira do Rio de Janeiro também entrará para a história.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...