sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Falta leitura

Fala galera! Os grupos de WhatsApp, assim como os programas de debate esportivo, me rendem bons temas para o Resenha Esportiva. O de hoje saiu de um misto de TV e celular. Vendo um bate bola da vida em um desses canais de esporte, os comentaristas questionavam a qualidade do futebol brasileiro.

Um ex-jogador, se não estou enganado era o Rivellino, disse que não falta qualidade, falta personalidade e leitura de jogo. Ele lembrou de uma situação do jogo Brasil x Uruguai pela Copa do Mundo de 1970, quando Gerson, muito bem marcado pelos adversários, chegou para Clodoaldo e disse ao volante para sair mais para o jogo, e ele, o “Canhotinha de Ouro”, ficaria mais fixo na marcação. E foi justamente nessa mudança que saiu um dos gols mais importantes da caminhada brasileira rumo ao tricampeonato, o gol de empate, marcado pelo mesmo Clodoaldo, na semi contra a Celeste.

Rivellino ainda completou dizendo que os jogadores querem seguir muito à risca o que o treinador pede, não saem do padrão, não usam a criatividade. Além disso, a maioria foi criada de outra forma na base, sem leitura de jogo. Com isso, mudar a situação de uma partida fica a cargo única e exclusivamente do treinador, que se não estiver em um dia feliz, pode perder uma partida.

Concordo com Rivellino nos dois aspectos, e tudo isso, na minha visão, passa pelo trabalho de base das equipes. Não se cria profissionais, não se ensina a sair de situações adversas, os garotos treinamcom cones na marcação, como já falei por aqui. Eles precisam dar 480 voltas no campo, caso contrário, estão reprovados no teste. Cérebro? Isso fica pra depois...

E assim o 7x1 vira cada dia mais uma qualidade do futebol brasileiro...


Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...