sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Ronda down

Fala galera!

Na madrugada do último sábado, dia 14, aconteceu o UFC 193. Como todos já sabem - e foi notícia em todos os noticiários esportivos nos dias seguintes - Ronda Rousey foi nocauteada e deu adeus à sua hegemonia. Até então, Rowdy vinha com um invejável cartel no MMA, com 12 lutas, 12 vitórias. Das 12 vitórias, 3 foram por nocautes e 9 por finalizações. Nunca uma luta de Ronda chegou até o final e teve de ser decidida pela opinião dos juízes. Por essas e outras, a surpresa com a derrota foi ainda maior.

Agora muito se tem falado sobre a continuidade da carreira de Ronda. Alguns - como o campeão brasileiro José Aldo - acham que ela deve parar, aposentar e se dedicar ao cinema e outros projetos. Dizem que o legado dela já está solidificado e que ela não tem que provar mais nada pra ninguém. É verdade, também concordo. Mas todos sabemos como funciona a cabeça de um campeão. Na minha opinião, a chance de Ronda se aposentar e não querer uma revanche com sua algoz Holly Holm é praticamente nula.

Que um dia essa derrota viria, nós não sabíamos. Mas imaginávemos, é perfeitamente possível que isso aconteça com qualquer atleta, por melhor que ele seja, por mais impecável que seja seu cartel. O cara pode ser extremamente favorito, com 99,99% de chances de ganhar, mas se a zebra acerta um soco bem colocado, num descuido do favorito, já era. Não acho que foi o que aconteceu com Ronda, o caso dela foi diferente. Holm fez a luta dos sonhos. Lutou em pé e foi minando Ronda aos poucos, nos golpes de boxe que são sua especialidade. Foi pro temido chão, conseguiu se desvencilhar e ainda ganhou mais confiança. Continuou golpeando e acertando muitos golpes, fato inédito até então na carreira de Ronda. Até que veio o fatídico chute e o sequente nocaute.

Acho que uma das grandes culpadas, sem tirar o mérito de Holm, é a própria Ronda. Não que ela não tenha tentado ganhar a luta, não tenha tentado jogar a luta pro chão como ela sempre faz. Mas eu fico com a impressão que ela tem uma pressa desnecessária pra terminar suas lutas. Esse histórico impressionante que ela tem de terminar os combates com poucos segundos pode, e muito, ter prejudicado. Ela entra no ringue com uma ânsia de nocautear/finalizar logo a adversária e ir embora. Falta entender que ela é a atual campeã e que a obrigação de partir pra cima e tentar algo de diferente é sempre do adversário. Quem faz isso muito bem, pra efeito de comparação, é o canadense Georges St. Pierre. Quase sempre suas lutas são chatas, burocráticas e até mesmo sem graça. Ele luta com o regulamento debaixo do braço e sabe que se o adversário não nocauteá-lo, o cinturão permanecerá no Canadá.

De qualquer forma, se eu tivesse que prever o futuro, chutaria que Ronda vai ficar um tempo de recuperação (inclusive, ela já foi "suspensa" por 6 meses, procedimento muito comum com os lutadores do UFC, após uma derrota na modalidade), vai colocar a cabeça (e a boca) no lugar e voltará novamente aos ringues. Talvez enfrente outra adversária antes. Talvez já venha direto pra revanche contra Holly Holm. O fato é que ela terá que entrar com os pés no chão, cabeça no lugar, sem ânsia e afoitamento. Terá que correr atrás de uma finalização pra retomar o cinturão. Vai jogar a luta pro chão a qualquer custo. Vai evitar a trocação franca e a luta em pé.

Gostamos de ídolos. Gostamos dos atletas que são os melhores nos esportes que praticam, nas modalidades que disputam. O fato é que ela vai dar a volta por cima. Ronda não vai deixar a peteca cair e, muito provavelmente, vai voltar mais forte do que nunca.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...