domingo, 15 de novembro de 2015

Dennis, o "Quase-Set"

JF Vôlei e Lebes/Gedore/Canoas entraram em quadra ontem, pela 3ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei. O confronto aconteceu em Juiz de Fora, Minas Gerais, e contrastava uma equipe que vinha de uma ótima partida, o JF, contra o Canoas, que ainda não tinha pontuado na competição.


A expectativa da torcida local era de que o JF Vôlei repetisse a boa atuação do confronto contra o Maringá, mas o primeiro set deixou um gosto amargo na boca. Enquanto os donos da casa erravam muito, Canoas fazia seu primeiro ponto de bloqueio na competição, com Victor Hugo, que jogou no time de Juiz de Fora nos últimos 3 anos. Sem fazer muito esforço o time do Rio Grande do Sul fechou o set em 25x13 em apenas 24 minutos e abriu 1x0, mesmo com o treinador Marcelo Fronckowiak na arquibancada, já que cumpria suspensão ainda do tempo que dirigia o RJX.

Com a entrada de Mark no lugar de Djalma no início do segundo set, o time mineiro voltou com uma cara nova e logo abriu vantagem com uma linda segunda bola de Maurício. As equipes se revezaram no saque, até que Wanderson, também ex-UFJF (antigo nome do JF Vôlei), atacou pra fora e deu o set para o time da Manchester Mineira. Placar do set 25x21 em 33 minutos, jogo empatado em 1x1.


O terceiro set começou da mesma forma que terminou o segundo, com o time de Juiz de Fora abrindo vantagem e caminhando para marcar seu segundo ponto na Superliga. Com o placar apontando 12x11 para o JF, o time local ataca e o bandeira aponta bola no chão, o árbitro ignorou a marcação e o ponto seguiu, para revolta da torcida e do time da casa, que acabou ficando sem o ponto e sem controle. Daí em diante a catimba tomou conta da partida. Sandro, o experiente capitão do time de Gustavo Endres, começou a pressionar a arbitragem, que omissa, acabou perdendo o controle do jogo. O que ninguém esperava após essa série de reclamações, era que Dennis, o oposto cubano do time sulino, "entraria" em quadra. Com 12 pontos apenas nessa parcial, ele virou o set e deu a vitória ao Canoas, que fechou em 25x19, novamente em 33 minutos, e colocou 2x1 no marcador.

Alessandro Fadul começou o quarto set com Igor no lugar de Ninão, com a expectativa de parar os ataques do camisa 7 adversário, mas foi em vão. Auxiliado por Victor Hugo, o cubano continuou a marcar pontos, e o time de Canoas fechou a partida em 3x1 ao anotar 25x19 na quarta parcial, a mais demorada do jogo, com duração de 34 minutos.


Dennis levou o troféu Viva-Vôlei de melhor jogador da partida após anotar 23 pontos no jogo, quase um set inteiro. Victor Hugo, o outro destaque do time, falou sobre a sensação de enfrentar seu ex-time:

- É sempre especial jogar aqui, foi um lugar que me acolheu nos últimos 3 anos, sempre fui muito feliz. Agora defendo Canoas e é bola pra frente.

CATIMBA E CONFUSÃO

Um dos destaques do JF Vôlei na partida, o levantador Maurício, falou sobre a catimba praticada pelos jogadores adversários:

- No final do jogo eu cheguei a falar com a arbitragem, eles não podiam deixar o jogo ficar tão falado como foi. É chato, é chato pra quem tá jogando, para o público. Não pode dar brecha para a discussão. Nós ficamos tão nervosos com os erros que foram acontecendo da arbitragem que acabou desconcentrando nosso time em alguns momentos. A gente acaba errando uma bola boba, um saque bobo, e acaba influenciando sim.

O treinador do Canoas, Marcelo Fronckowiak, que cumpriu seu último jogo de suspensão, também comentou sobre os momentos de discussão entre jogadores e arbitragem:

- Talvez tenha havido muita conversa entre a arbitragem e os capitães, e até jogadores que não são capitães e não tem o direito de falar, mas estão falando. É da nossa cultura, nós somos latinos, temos sangue quente e questionamos muito. As vezes os questionamentos com a arbitragem faz com que a gente perca o foco.

E foi o próprio Marcelo que protagonizou a cena mais quente da partida. Após a partida, enquanto Alessandro Fadul conversava com a imprensa, o treinador adversário "invadiu" a coletiva para tirar satisfações com o comandante do JF Vôlei. Com dedo em riste, o gaúcho acusou Fadul de reclamar dele com o delegado da partida, acusação negada pelo treinador do time mineiro.

O áudio da discussão vocês conferem no final da matéria, infelizmente (ou felizmente) não temos imagens do episódio.

Na próxima rodada da Superliga o time de Canoas recebe o Brasil Kirin. Já o Juiz de Fora Vôlei vai a Bento Gonçalves enfrentar um adversário direto na luta contra o rebaixamento, o Bento Vôlei.

Ficha Técnica

JF Vôlei 1 x 3 Copel Telecom Maringá

Ginásio da UFJF - Juiz de Fora (MG)
Troféu Viva-Vôlei: Dennis (Canoas)

JF Vôlei: Maurício, Ninão, Diego, Leandrão, Renato, Djalma e Fábio. Entraram: Tatinho, Tárik, Felipe, Mark, Igor e Ricardo.

Técnico: Alessandro Fadul

Lebes/Gedore/Canoas: Sandro, Victor Hugo, Matheus, Alê, Léo Caldeira, Dennis e Jeffe. Entraram: Batagim, Bozko, Wanderson e Evandro.

Técnico: Marcelo Fronckowiak (nesta partida o time foi comandado pelo assistente Vinícius Gamino).

Fotos: Thiago Senra

Texto: Luiz Paulo Knop

Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...