sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Da mordida à redenção

Fala galera!

Hoje tô aqui pra falar do uruguaio Luis Suárez. É comum vermos histórias de superação no esporte. Há algumas semanas, por exemplo, fiz um post que mostra um brasileiro portador de ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) e que encontrou no poker um motivo para seguir adiante. Conversando com alguns amigos nesta semana sobre os possíveis candidatos ao prêmio de melhor do mundo, veio à tona o nome de Luis Suárez. Pra quem não sabe, a FIFA já divulgou a lista dos 23 pré-selecionados ao tão almejado prêmio e, no dia 30/11, reduzirá esses 23 nomes para apenas 3.

Pensando um pouco na recente história do atacante uruguaio, acho que podemos considerar mais um caso de superação no esporte. Suárez não é "flor que se cheire", isso todos nós já sabemos. Já participou do incidente onde teria cometido injúrias raciais ao lateral esquerdo Evra, na época em um duelo entre Liverpool e Manchester United. É inesquecível também o jogo entre Uruguai e Gana, válido pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2010, quando no último lance ele colocou a mão na bola, intencionalmente, dentro da área, para evitar o que selaria a eliminação de sua seleção. O resultado todos sabem: ele foi expulso e Asamoah Gyan perdeu o pênalti. O jogo foi para a disputa de pênaltis e o Uruguai voltou a disputar uma semi-final de Copa do Mundo depois de 40 anos.

Logo em seguida, temos as polêmicas das mordidas. Em 2013, numa partida entre Liverpool e Chelsea, Luisito tentava se desvencilhar da marcação de Ivanovic e deu uma dentada no rival. Já era reincidente, ele havia feito o mesmo quando atuava pelo Ajax, numa partida contra o PSV. Dois é bom, três é demais? Pra Suárez não. Todos lembram de um dos lances mais comentados e visualizados da Copa do Mundo de 2014, aqui no Brasil. Não, não tô falando do 7x1. Tô falando da terceira "dentada"da carreira de Suárez, desta vez contra o ombro do zagueiro italiano Chiellini. Foi julgado pelo Comitê Disciplinar da FIFA e, por ser reincidente, foi suspenso por nove jogos, banido por quatro meses de qualquer atividade relacionada ao futebol, ficando não apenas fora dos jogos restantes da copa, como também impedido de permanecer na concentração com seus colegas. Ele também foi multado em 100 mil francos suíços, ou $ 119.702.

Poderia ser o início de um fim de carreira, não poderia? Suárez poderia ser preterido por todas as potências do futebol, poderia ir jogar num time de segundo nível, poderia perder seu status conquistado durante a carreira. Mas não. Foi exatamente aí que a badalada equipe do Barcelona identificou uma oportunidade e anunciou Luis Suárez como seu novo atacante, no dia 11 de Julho de 2014, pelas próximas 5 temporadas. Vingou? Vingou demais! Hoje Suárez é indispensável no esquema tático do Barcelona. Continua com o mesmo instinto matador, com uma incrível média de quase 0.7 gols por partida. É um dos pilares da trinca conhecida como MSN (Messi, Suárez e Neymar). Ouso dizer, inclusive, que é o melhor jogador do Barcelona atualmente. Com a recente lesão de Messi, carregou o piano junto com Neymar, e carregou muito bem. Faz gols, dá assistências, ajuda muito na marcação com seu estilo guerreiro de sempre. Está na briga pela artilharia tanto do Campeonato Espanhol quanto da Champions League.

Não vou me surpreender se ele estiver entre os 3 finalistas ao prêmio de melhor do mundo. Infelizmente já começamos o ano sabendo que a FIFA provavelmente vai dar o prêmio para Messi ou Cristiano Ronaldo, mas a bem da verdade, eles não são mais merecedores que Suárez, neste ano.

Redenção: esta é a palavra que define a carreira de Luis Suárez.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...