segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Hamilton é tri

Fala galera! Ainda faltam três corridas para o fim da temporada 2015 da Fórmula 1, mas ao contrário de 2014, quando Lewis Hamilton garantiu o seu segundo título mundial apenas na última prova do ano, dessa vez ele não deu chances aos adversários e faturou o seu terceiro título, igualando Ayrton Senna, o seu ídolo, em número de conquistas.

O britânico venceu 10 das 16 etapas disputadas, além das 10 vitórias ele ficou em segundo lugar em 3 oportunidades, foi terceiro uma vez, em Monaco, foi sexto em Hungaroring, e somente no GP de Cingapura que não pontuou. Na ocasião ele fez um péssimo fim de semana e abandonou na volta 32 com problemas no motor.

A etapa de Austin começou estranha. o Furacão Patrícia, que aterrorizou o México nos últimos dias, deixou estragos também na região do Texas, Estados Unidos, onde fica o circuito. Com chuvas fortíssimas em toda a região, o segundo treino livre, que se realizaria na sexta, foi cancelado e ficou a dúvida quanto ao critério que seria adotado para definir caso não houvesse o treino de classificação.

No sábado o terceiro treino aconteceu debaixo de muita água novamente, e os pilotos saíram dele com a impressão de que ali teriam definido o grid. Ledo engano... atraso de 1 hora, 2 horas, 3 horas... e por fim o treino de classificação foi remarcado para o domingo, dia da prova, às 9 horas (12 horas horário de Brasília).

Ainda debaixo de chuva, os pilotos tinham dificuldade de permanecer na pista, e após a segunda parte do treino, o Q2, a direção de prova resolveu cancelar a última parte, definindo como grid de largada a situação de momento.

Precisando abrir mais 9 pontos de Sebastian Vettel para garantir o título, Hamilton largou em segundo, mas ultrapassou Nico Rosberg logo na primeira curva. Apesar de sofrer muita pressão durante toda a prova, ele sempre esteve próximo do título, mesmo quando caiu para a 4ª colocação. Faltando 8 voltas para o fim da prova e com a decisão indo para o GP do México, Rosberg erra, desliza e abre caminho para Hamilton faturar o título, o segundo consecutivo, o seu terceiro, e o primeiro que ele não precisa disputar até a última etapa.

Rosberg terminou em segundo e colou em Sebastian Vettel na briga pelo vice-campeonato, o tetracampeão terminou em terceiro e completou o pódio.

Lewis Carl Davidson Hamilton foi campeão da GP2 em 2006 pela Art Grand Prix e no ano seguinte estreava na Fórmula 1 pilotando a McLaren, equipe na qual corria Fernando Alonso, o melhor piloto do grid. Com um início eletrizante onde conquistou 9 pódios (2 vitórias) nas 9 primeiras corridas, ele não só chamou a atenção do mundo como ganhou a ira de seu companheiro de equipe, que imaginou que teria vida fácil na equipe. Faltando duas etapas para o fim da temporada, o inglês liderava a tabela de pontuação e era o líder do GP da China, quando abandonou e perdeu a chance de título antecipado. Chegou ao GP do Brasil precisando de um segundo lugar para ser campeão sem depender de ninguém, ele não fez uma boa corrida e terminou em 7º, ficando um ponto atrás de Raikkonen, o campeão.

Em 2008 outra disputa emocionante contra Felipe Massa, vencida apenas na última curva, quando ele ultrapassou Timo Glock e garantiu a 5ª colocação na prova, posição que lhe deixou um ponto à frente do brasileiro e lhe deu o primeiro título mundial. Depois de alguns anos longe da disputa, em 2014 a Mercedes montou um carro fenomenal e que lhe deu condições de disputar o título, feito que veio após a última etapa, em Abu Dhabi, quando venceu a prova.

Em 2015 foi muito mais fácil, desde as primeiras provas ele dava pinta de que seria o campeão, status que veio após 16 etapas, faltando três para o fim. O tricampeonato lhe coloca na galeria dos maiores vencedores da história, uma galeria que conta com Schumacher, Fangio, Prost, Vettel, Piquet, Lauda, Brabham, Stewart e Senna, o grande ídolo do britânico, que nunca escondeu ver no brasileiro um exemplo a ser seguido.


Confiram agora os principais números da carreira de Hamilton na Fórmula 1
164 GPs

43 vitórias (3º maior vencedor)
84 pódios
49 pole positions (3º da história)
27 voltas mais rápidas (6º da história)
9 temporadas (6 pela McLaren e 3 pela Mercedes)
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...