segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Barbio, cabelo e bigode grosso

Fala galera! Ontem a Chapecoense venceu o Palmeiras por 5x1 pela 29ª rodada do Brasileirão 2015, a partida foi realizada na Arena Condá, em Chapecó, e o resultado atrapalhou o verdão paulista na disputa pelo G4, ao mesmo tempo que ajudou a Chape a sair do Z4. Mas o que chamou a atenção não foi a boa partida disputada pelos dois times, e sim a equipe de arbitragem. Primeiro vamos aos dois lances polêmicos e depois a minha opinião.

Egídio "desexpulso"

Aos 15 do primeiro tempo o atacante da Chapecoense, William Barbio, dribla Victor Hugo e vai em direção ao gol. O lateral Egídio dá um carrinho e tira a bola. O juiz estava longe da jogada, marca falta e expulsa Egídio por ser o último homem em uma situação clara de gol. O palmeirense reclamou muito, mas após muita discussão desceu para os vestiários. Alertado pelo bandeira e pelo quatro árbitro de que o lance foi limpo, Jailson Macedo Freitas volta atrás. Ele vai ao vestiário, chama Egídio de volta e o jogo recomeça com 11 pra cada lado.

Gol "desanulado"

A Chape vencia por 2x0 quando aos 9 do segundo tempo Maranhão cobra um escanteio pela esquerda, a bola vai em Túlio de Melo que marca o terceiro. O bandeira assinala impedimento e o juiz anula o gol. Ao ser informado de que o jogador que estava em impedimento era William Barbio (de novo com ele), o juiz volta atrás e dá o gol para o time catarinense, já que o camisa 7 não havia participado da jogada.

Observações

Milton Leite repetiu insistentemente que o árbitro fez várias "lambanças" durante a partida. Criticou a equipe de arbitragem dos 15 do primeiro tempo aos 45 do segundo, inclusive na hora que "passou a bola" para Marcelo Barreto no Troca de Passes. Na página do Uol também aparece o árbitro como um dos piores da partida, "apesar de não ter cometidos erros".

Conclusão

A todo momento escutamos que nossa arbitragem é ruim, em qualquer discussão sobre futebol o assunto "juiz ladrão" é acionado para justificar uma derrota do seu time do coração. Também estamos em uma era onde a introdução da tecnologia auxiliando os árbitros é um assunto corriqueiro, existe uma pressão para aprovação das melhorias.

O jogo seria outro caso o árbitro não voltasse atrás nas duas decisões e hoje estaríamos discutindo os erros do mesmo. Já que ele corrigiu os erros e fez com que o jogo seguisse com justiça, ele também é criticado, crucificado, esculachado, mesmo acertando.

Deixo duas perguntas para vocês:

1 - O torcedor (e também os narradores e comentaristas) aceitará o uso da tecnologia (inclusive do desafio, como já foi proposto) quando ela for aplicada ou vai continuar reclamando?

2 - O árbitro errou em corrigir o erro?

Pra mim o juiz acertou em se corrigir, mesmo que tenha sido influenciado por seus auxiliares. Ele foi macho, bigode grosso! Aguardo a resposta de vocês.

Fui
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...