quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Prazer, Rafi

Fala galera! Eu não sou especialista em alemão, muito menos em futebol, mas pelo que pesquisei, na Alemanha as pessoas são carinhosamente chamadas no diminutivo, e se aqui usamos "inho", "inha" e demais terminações, por lá. a mais usada é a "i", isso mesmo, apenas um "i" no final, cortando parte do nome.

Até agora não entenderam lhufas né? Mas vou explicar.. isso não é uma aula de alemão, é apenas forma carinhosa de tratar o novo-futuro alemão, o lateral do Bayern de Munique e da Seleção Brasileira, Rafinha.

Pois é... ontem a CBF comunicou que o lateral pediu dispensa da convocação de Dunga. O Brasil fará seus dois primeiros jogos nas Eliminatórias para a Copa de 2018, o primeiro contra o Chile, fora de casa, o segundo contra a Venezuela, no Castelão, em Fortaleza.

Pouco aproveitado em nossa Seleção desde sempre, Rafinha disputou o Sulamericano e o Mundial Sub-20 em 2005, depois esteve nos Jogos Olímpicos de Pequim, e entre 2008 e 2015 participou de apenas dois amistosos com o time principal, um em março de 2008 e outro em 2014. Foi convocado em outras ocasiões, sem entrar em campo.

Com a possibilidade de ser convocador para defender os atuais campeões do mundo, o lateral, que já mora na Alemanha há 11 anos, se nega a vestir a amarelinha em um torneio oficial, abrindo possibilidade para atuar em outra seleção, como aconteceu com Diego Costa em 2014. Pela regra recente da Fifa, atuar em uma partida considerada oficial (nem a Fifa sabe o que é uma partida oficial) impediria atuar por outra seleção no futuro.

A CBF posou de "mocinho" nessa história, "entendeu" a posição de Rafinha e desejou sorte ao jogador. O ainda brasileiro agradeceu a oportunidade mas disse ser pouco aproveitado, como realmente é, e abre as portas para a Deustche.

A dúvida que fica é se essa convocação não foi uma forma que encontraram de impedir o lateral de atuar por outra seleção assim como tentaram fazer com o brasileiro/espanhol? Além disso, será que Rafinha com seus 30 anos ainda pode se tornar um jogador essencial a ponto de atuar pela melhor seleção do mundo da atualidade? Lembrando que o ex-capitão e titular da posição, Philipp Lahm, anunciou que não defenderá mais a camisa da seleção.

Façam suas apostas, sejam elas para o lado que for.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...