quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Férias - Capítulo 2

E continuando a saga de alguns dias atrás...

Na volta do Uruguai, antes de partir para o Velho Mundo, fiquei um dia no Rio, bem no dia do primeiro jogo entre Flamengo e Vasco pela Copa do Brasil. Fiquei com muita vontade de ir, mas o horário e o mal tempo me inibiram. O Vasco ganhou, mas queria ter ido mesmo para sentir o clima de um grande jogo antes de embarcar para a Europa.

Minha primeira parada foi na Itália, onde assisti pela primeira rodada do campeonato italiano o Hellas Verona vs. Roma. Na verdade eu estava em Veneza e não tinha programa ir na cidade vizinha. Também me surpreendi quando descobri que o clube de Veneza tinha sido excluído da Série A em 2005 e depois excluído da Série C, ambas exclusões por problemas financeiros. Já pensou se a moda pega por aqui? O clube hoje recomeça e esta atualmente na serie C do Calccio. Isto foi ruim, pois esta situação parece ter desanimado os torcedores da cidade. Quando perguntava, não sentia muita animação dos locais. Mesmo assim procurei e achei o estádio na ilha. O melhor é que procurando o estádio Pierluigi Penzo, um dos mais antigos da Itália, fui conhecendo ainda mais a cidade, que é linda.

Como disse sobre a viagem ao Uruguai, acaba que as comparações são inevitáveis e em Verona fiquei impressionado com a fidelidade da torcida. Atualmente resido em Macaé-RJ, cidade que ultimamente tem investido bem nos esportes. O Macaé Esporte disputa o Cariocão e a Segunda Divisão Nacional. Mesmo sendo o principal clube da cidade e com relativo sucesso, não há uma identificação da torcida. Alias, não há uma torcida. E o time vem caindo pelas tabelas, hoje correndo risco de rebaixamento, depois de um bom inicio. Uma pena. Comprei a camisa, mas ainda não fui em nenhum jogo, pois não há uma mobilização. Mas mesmo assim, ainda irei torcer pela permanência do clube na Série B.

Já em Verona, no dia do jogo, cheguei cedo para tentar comprar o ingresso e a camisa oficial do principal craque da equipe: Luca Toni. Alem da oficial, acabei comprando uma retrô do único scudetto do clube na temporada 84-85. E como eles tem orgulho desta façanha... Já com ingresso na mão, fiquei pelos arredores junto da torcida, bebendo uma cerveja e vendo a animação de todos antes da partida. Sentei na grama, como se estivesse em um piquenique, numa tranquilidade só. Fiquei pensando que é impossível fazer isso aqui no Brasil. Ao contrario da vizinha Veneza, a cidade de Verona desfila com dois clubes na seria A: Chievo Verona e Hellas Verona. E ao contrario de Macaé, havia uma torcida, e os torcedores estavam animados e confiantes, mesmo sendo contra a Roma. O clima era muito bom.

Verona, mais conhecida como a cidade de Romeu e Julieta, é menor que Macaé, com dois clubes para dividir a cidade, mas o estádio estava cheio e a torcida apoiava o clube. Com certeza o Macaé teria melhor sorte se a torcida o empurrasse pelo menos nos jogos em casa. O jogo na Itália foi 1x1. O Verona marcou primeiro e foram cinco minutos de gritaria: Hellas, Hellas, Hellas!!! Emocionante!!! (Isso me ajuda a convencer a minha esposa a ir aos jogos, e ela adorou). Pena que o goleiro falhou e a Roma empatou em chute de longa distancia. A torcida continuou gritando, mas já um pouco apreensiva e torcendo pelo fim da partida. A Roma quase virou, mas no final ficamos satisfeitos com o empate.

Por aqui, poderia haver mais incentivos aos clubes das medias e pequenas cidades. Afinal, futebol é cultura e une a população. Como seria bom para cidades como Macaé e Juiz de Fora, apenas para citar as que mais tenho proximidade. Parece que já não somos mais o país do futebol. Até o próximo e ultimo capitulo, já na Espanha e Portugal!!!

Diego Ribas
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...