quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Uma luz no fim do túnel

Fala galera! Na última terça-feira foi publicada uma pesquisa realizada pelo banco de investimento do grupo Itaú, o Itaú BBA. Nela a instituição mostra a previsão de lucro/prejuízo de 12 dos maiores clubes do Brasil no ano de 2015. A pesquisa analisou as receitas e as despesas dos quatro grandes do Rio (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco), os quatro grandes de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo), os dois rivais de Minas (Cruzeiro e Atlético) a dupla Grenal, do Rio Grande do Sul.

Para explicar melhor, o lucro encontrado é o que os analistas de mercado chamam de lucro EBITDA, ou seja, é o resultado de tudo o que foi arrecadado subtraído de todas as despesas do clube, não entram como despesas o pagamento de impostos, juros, amortizações e depreciações, daí a denominação EBITDA (em inglês quer dizer Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization).

O EBITDA é um dos indicadores mais confiáveis para analisar a produtividade e a eficiência do negócio. Portanto, lucro EBITDA alto, negócio eficiente, o que não quer dizer que o negócio tenha boa liquidez, já que ele ignora os itens apontados acima. De certa forma, é através dele que os clubes (empresas) ganham credibilidade com o mercado para financiamentos, refinanciamentos e investimentos.


O resultado apontou lucro na maioria dos clubes analisados, exceto nos dois clubes de Minas e no Internacional de Porto Alegre. O resultado mais assustador é o do Galo Mineiro, com um prejuízo calculado em 25 milhões apenas em 2015.

Na ponta oposta da lista aparece o Flamengo, que tem uma previsão de R$ 89 milhões de lucro ao final da temporada, segundo o banco. O resultado dá credibilidade à proposta da "gestão Eduardo Bandeira de Mello" que desde o início pregou a austeridade e o equacionamento das dívidas (enormes) do clube.

O clube carioca fez com que sua receita subisse cerca de 20% (50% a mais em publicidade e 9% a mais em bilheteria), mantendo os custos praticamente na mesma faixa do ano anterior, um acréscimo de aproximadamente 6%. Com isso a relação entre receita e despesa permaneceu próxima dos 36%, possibilitando a quitação de muitas dívidas adquiridas em gestões gestões passadas.

Antes que as críticas do tipo "mas o Flamengo tem uma cota de televisão enorme, é fácil fazer isso" apareçam, vale lembrar que o Corinthians, que tem potencial parecido com o rubro-negro, não figura entre os maiores lucros analisados. O clube do Parque São Jorge se encontra apenas na 5ª posição, atrás de Palmeiras, Grêmio e Fluminense.

Confiram a relação completa com os devidos valores e tirem suas próprias conclusões:
1º. Flamengo: lucro de R$ 89 milhões
2º. Palmeiras: lucro de R$ 63 milhões
3º. Grêmio: lucro de R$ 42 milhões
4º. Fluminense: lucro de R$ 29 milhões
5º. Corinthians: lucro de R$ 17 milhões
6º. Santos: lucro de R$ 14 milhões
7º. São Paulo: lucro de R$ 9 milhões
8º. Vasco: lucro de R$ 7 milhões
9º. Botafogo: lucro de R$ 3 milhões
10º. Internacional: prejuízo de R$ 3 milhões
11º. Cruzeiro: prejuízo de R$ 19 milhões
12º. Atlético-MG: prejuízo de R$ 25 milhões

Espero que o post sirva para animá-lo com a possibilidade de exigir de seu clube uma gestão mais profissional, como eu tenho feito com o meu. E parabéns a Flamengo, Palmeiras, Grêmio e Fluminense, que parecem entender que sem planejamento e desenvolvimento econômico, nunca sairemos do 7x1.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...