sexta-feira, 3 de julho de 2015

Reclamou? Amarelou!

Fala galera!

Pra quem está acompanhando qualquer jogo do Brasileirão, já deve ter visto (ou ouvido) que existe uma nova determinação da CBF, para que os árbitros sejam mais rígidos perante às tão famigeradas reclamações dos jogadores brasileiros. Além do Brasileirão já ter a maior média de cartões amarelos entre as principais ligas futebolísitcas (mesmo antes dessa determinação), há também o tal cartão amarelo em praticamente qualquer comemoração que o cara que mete o gol queira fazer. Se o cara tira a camisa, é amarelo (até concordo, por causa do patrocinador). Se o cara se aproxima do alambrado, é amarelo. Se o cara vai comemorar com algum torcedor ou com alguém de sua família que esteja na torcida, é amarelo! Haja amarelo!

A determinação da CBF foi sentida na pele e as estatísticas estão aí pra provar. Após as primeiras três rodadas do Brasileirão deste ano, por exemplo, houve um gritante aumento no número de cartões em 40%, se compararmos com a edição do ano passado. A CBF está pressionando os árbitros para que a recomendação seja seguida. Três homens do apito que aliviaram em jogos das duas primeiras rodadas ficaram fora do sorteio para a terceira, segundo o chefe da arbitragem.

É claro que tanto os técnicos quanto os jogadores são contra essa nova recomendação e dizem que o jogo ficou chato, que não podem sequer se aproximar do árbitro, que ele já está de prontidão esperando para amarelar. Vanderlei Luxemburgo e o jogador Robinho (do Palmeiras) foram dois exemplos que deram declarações públicas contra essa nova medida que tem sido adotada. Em contrapartida, pelo que parece, essa história ainda vai longe. A decisão foi endossada por uma circular feita pela comissão dos árbitros, que diz o seguinte: "as recorrentes e acintosas reclamações, individuais ou em grupo, contra as decisões do árbitro e de qualquer oficial da arbitragem, tanto durante como após o encerramento das partidas, exigem adoção de medida disciplinar adequada, pois as regras do jogo, o permitem e exigem". E ainda completa: "qualquer pessoa que, durante ou ao final da partida, se dirigir à equipe de arbitragem, para aplaudir (de forma irônica), reclamar de qualquer marcação ou ofender a equipe de abirtragem deverá ser EXPULSA (se for jogador ou substituto) e EXCLUÍDO (se oficial de equipe)".

O que eu acho de tudo isso? Eu concordo com a determinação. Mais chato do que ver o juiz distribuir cartões (seja amarelo, seja vermelho) por reclamações, é ver o jogador brasileiro que está culturalmente acostumado a reclamar de tudo. Lançamento pra área e todos os defensores já levantam o braço pedindo impedimento do atacante adversário (mesmo se ele tiver com mais de 2 metros de condição legal). A bola sai pra lateral, o jogador faz de bobo, finge que o lateral é a seu favor e se prepara pra cobrá-lo. Qualquer falta é contestada. Qualquer cartão é contestado. Será que eles nunca vão aprender que "se o juiz marcou, tá marcado"? Eu, sinceramente, nunca vi um juiz voltar atrás num cartão ou na marcação de um pênalti, por exemplo, depois de uma reclamação dos jogadores.

Acho sim importante que o time tenha uma liderança, um jogador mais influente, que saiba se aproximar e saiba conversar de maneira civilizada com o árbitro. É mais uma coisa que deveria ser copiada das ligas internacionais, como a Barclay's Premier, por exemplo, onde existe a aceitação dos jogadores com as marcações dos árbitros, as reclamações são mais respeitosas e o jogo é corrido, é jogado.

Menos #mimimi, mais futebol.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...