sexta-feira, 26 de junho de 2015

Aprendendo a fazer dinheiro com o Porto: tipo Colômbia

Fala galera!

Há quase 1 ano fiz um post aqui no Resenha, sobre a máquina de dinheiro que é o Southampton. Só pra vocês terem uma ideia, na última janela de transferências, referente à temporada 2014/2015, o clube havia vendido 5 jogadores e arrecadado a bagatela de 120 milhões de euros, aproximadamente 415 milhões de reais. Foram negociados os jogadores Luke Shaw, Adam Lallana, Dejan Lovren, Calum Chambers e Rickie Lambert. Isso sem falar nas negociações de temporadas anteriores, como Gareth Bale e Theo Walcott.

Pois bem, hoje vou pra 2ª versão de "como fazer dinheiro" no futebol. Quem ensina, dessa vez, é o Porto. Segundo o site Transfer Market, que registra todas as transações feitas pelos clubes do mundo, nos últimos 10 anos, o Porto já faturou um valor próximo a 686 milhões de euros (quase 2,5 bilhões de reais!). Fica muito muito à frente dos seus rivais portugueses e bate de frente com gigantes do futebol europeu.

Mas o que é que o "tipo colômbia" tem a ver com essa história toda? Pois então, parece que a especialidade do clube português é a de descobrir colombianos que aumentarão as cifras do clube após alguns anos. O primeiro colombiano a gerar um ótimo caixa ao Porto foi Falcao García. O centroavante foi contratado em 2009 junto ao River Plate por cerca de 5,4 milhões de euros. Dois anos depois, acabou vendido ao Atlético de Madri por nada menos que 40 milhões. Um lucro exorbitante de incríveis 34,6 milhões de euros.

Neste meio tempo, o Porto ainda foi à Argentina buscar outra jovem promessa colombiana. Talvez tenha sido a negociação mais badalada. Ao Banfield, o time português pagou 7,4 milhões de euros para ter o meia James Rodriguez, em 2010. Foram três anos dele no Estádio do Dragão até que o Monaco acertasse sua contratação por 45 milhões. Mais 37,6 milhões de lucro para os cofres do dragão.

E como substituir um colombiano? Nada melhor do que com outro colombiano, é claro. E foi exatamente isso que o Porto foi buscar em Jackson Martínez, que custou 8,8 milhões de euros para ser tirado do Jaguares, do México, em 2012. Agora, ele está muito perto de ser negociado com o Atlético de Madri por 35 milhões e gerar mais 26,2 milhões de lucro ao balanço do clube.

Se formos fazer um somatório apenas desses 3 colombianos que citamos, o Porto teve um lucro de 98,4 milhões de euros, algo em torno de 340 milhões de reais. Fora isso, ainda podemos contabilizar o rendimento dos jogadores dentro de campo (conquistaram 3 campeonatos portugueses de 2009 pra cá, sempre com um colombiano figurando na artilharia) e o rendimento com ações de marketing, venda de camisas, etc. Para fazermos um paralelo e uma comparação à realidade brasileira, esses 340 milhões de reais de lucro que o Porto teve com a venda dos 3 jogadores colombianos, é um valor muito próximo ao que o Flamengo (que foi a equipe brasileira que mais teve lucro) faturou em toda a temporada de 2014.

Enquanto muitos clubes estão suando o bigode pra fazer negócios da China, o Porto dá uma aula de lucratividade com os negócios da Colômbia...

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...