segunda-feira, 20 de abril de 2015

Craque do futuro?

Fala galera! Desde 2007 a CBF premia a revelação do Campeonato Brasileiro. O troféu é entregue na festa do Prêmio Craque do Brasileirão, ao final da temporada brasileira. A ideia desse post surgiu após aparecer uma matéria com o Erik, do Goiás, que foi eleito a revelação de 2014 e que depois disso não rendeu o esperado.

Esse "privilégio" não é só dele, de 2007 pra cá a lista trouxe alguns selecionáveis, alguns que realmente se destacaram, mas também apareceram alguns bondes.

Quem inaugurou o prêmio foi o zagueiro Breno, que defendia o São Paulo em 2007. O defensor tricolor tinha tudo para se tornar zagueiro da Seleção por muitos anos, foi contratado pelo Bayern de Munique e parecia se firmar no futebol europeu. Mas uma profunda depressão fez com que sua carreira voltasse à estaca zero em 2014. Agora é recomeçar no mesmo São Paulo.

No ano seguinte deu "o meu camisa 9" pra Copa de 2014, Keirrison, o K9. O garoto brilhava com força e eu tinha certeza que seria o "novo Careca". Não deu... Veio 2009 e Fernandinho, então no Barueri, foi o premiado. Ele realmente fez um bom campeonato, mas acho que seu prêmio se deveu mais à falta de outras opções na época.
Bernard recebendo o prêmio em 2012

Em 2010 o Corinthians brigou pelo título até o fim e ajudou a revelar Bruno César, um meia de chute forte e preciso que provavelmente seria da seleção nos anos seguintes, seria. No ano seguinte não foi muito diferente. Um garoto rápido, habilidoso e de muita personalidade saia do Fluminense emprestado ao Figueirense e brilhava, esse era Wellington Nem. O canhoto tinha tudo pra seguir com a amarelinha, mas uma transferência para o leste europeu lhe tirou do foco.

Somente em 2012 que o prêmio fez jus à fama, foi nesse ano que Bernard brilhou no Atlético e se garantiu na Seleção pelos próximos anos, chegando a disputar a Copa de 2014. Em 2013 a revelação foi Marcelo, hoje no Flamengo, e que parece estar no seu limite como jogador, ou seja, não vai pintar na Seleção. Caso semelhante ao de Erik, o personagem inicial do nosso post.

O prêmio é legal, eu gosto de tudo quanto é tipo de eleição desse tipo, mas talvez essa dificuldade em premiar alguém que realmente vá defender o Brasil seja apenas um reflexo da atual fase que nosso futebol vive. Não se revela mais como antigamente.

E volto no assunto de sempre, o 7x1 ficou barato.

Fui
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...