sexta-feira, 27 de março de 2015

Derruba, Jason Kidd!

Derruba, Jason Kidd!

No início da semana, na segunda-feira, fizemos um post aqui no Resenha homenageando o já aposentado das quadras Jason Kidd, um dos melhores armadores da história da franquia do Nets e um dos mais reconhecidos armadores da história da NBA. Após 19 temporadas, ele "pendurou as chuteiras" em 2012 e logo em seguida, trocou seu uniforme para vestir terno e gravata e ficar à beira da quadra. Hoje estamos aqui pra falar novamente de Jason Kidd, agora no papel de treinador. E o "Derruba, Jason Kidd", onde entra na história? Já já vocês vão entender...

Após apenas 10 dias do anúncio de sua aposentadoria, Kidd já foi contactado e contratado para comandar a equipe na qual atuou por 6 temporadas e meia, o Brooklyn Nets (que chamava New Jersey Nets em sua época como jogador). No entanto, seu início de carreira como treinador aconteceu de forma atribulada. O time havia se reforçado e contratado bastante, mas não se encontrava em quadra. Em uma atitude desesperada, aparece aí o "Derruba, Jason Kidd". No calor (ou desespero) do momento, no final de uma partida contra o Lakers, Kidd ordenou que um de seus jogadores trombasse nele, propositalmente, para que ele derrubasse refrigerante na quadra e atrasasse a partida. O que Kidd não sabia é que as câmeras flagraram tudo. Não tô mentindo, é só dar play no vídeo aí abaixo:


Lambanças e refrigerantes à parte, a campanha do Nets melhorou na temporada. Terminou em 6º lugar na Conferência Leste, com 44 vitórias (após um início muito ruim) e foi para os playoffs. Venceu os Raptors por 4x3, jogando a última partida no Canadá, mas caiu para o Miami Heat por 4x1 nas semifinais de conferência. O ataque era muito bom, mas a defesa deixava a desejar. Logo a defesa, um dos pontos fortes de Jason Kidd como jogador, um dos recordistas em roubos de bola e escolhido por 9 vezes para participar do "All-Defensive NBA Team". Sua defesa foi uma das piores da liga em todos os sentidos (pontos sofridos, fluidez, entrosamento).

E foi aí que Kidd errou novamente. Dizem que ele teria pedido um aumento ao Nets, já que segundo ele teria uma proposta de contrato do Milwaukee Bucks. A direção do Nets não quis pagar pra ver, mas Kidd não estava blefando. Fez a entrevista, passou no crivo dos novos donos do Bucks e virou treinador do Milwaukee pelos próximos anos. Para o Bucks, é uma maneira de revitalizar a franquia. O time demitiu Larry Drew, mas agora tem nos jovens Jabari Parker e no grego Giannis Antetokounmpo, junto com a contratação do armador Michael Carter-Williams, as faces para mudar os rumos de uma franquia que faz muito tempo não consegue uma campanha positiva.

Para Jason Kidd, é a segunda chance na NBA. É um time bom para ser treinado, com muitas peças novas, sem vícios e querendo a mesma coisa que ele, Kidd – desenvolvimento, experiência e muitas vitórias. É um grupo que poderá ser moldado por ele, treinado à exaustão sem problemas físicos dos veteranos e com muita fome para mostrar aos novos donos do Bucks o quão boa poderá ser a nova fase da franquia. Até o momento, tem dado certo e a equipe do Milwaukee está na zona de classificação para os playoffs, mas precisa continuar fazendo sua parte, já que muitas outras equipes ainda continuam próximas e com chances reais de classificação.

Agora resta torcer para que o Bucks tenha a paciência que o Nets não teve. 
E que Jason Kidd entenda o quão importante é esta chance que o Milwaukee está colocando em suas mãos.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...