sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Jeremy Lin, o nerd da NBA: chegou a hora da verdade

Fala galera!

Se vocês acompanham NBA de uns 2 ou 3 anos pra cá, é bem provável que já tenham ouvido falar no nome de Jeremy Lin. A história do garoto é interessante. Tem nome e cara de chinês, mas nasceu nos EUA, em Los Angeles. Largou a universidade de Harvard para jogar basquete pelo Golden State Warriors (2010/2011). Jogou pouco e foi dispensado. Assinou com o New York Knicks, onde sua carreira, de fato, explodiu. Deu-se início até à LINSANITY (como analogia no futebol, podemos citar, por exemplo, a Jamesmania). Pela equipe de New York, atuou na parte final da temporada 2011/2012 e anotou médias de 14,6 pontos e 6,2 assistências. O Madison Square Garden fervia praticamente todo jogo. Sua camisa era a segunda mais vendida entre todos os atletas da NBA na temporada, só perdendo para Derrick Rose. No auge de suas partidas fora do comum, Lin foi até eleito vencedor no "jogador da semana".

Como o contrato com os Knicks era de apenas 1 ano, ele já virava agente livre. E dos cobiçados. O dinheiro falou mais alto e o nerd do barulho se mandou para o Texas, armar as jogadas no Houston Rockets. O problema é que todos esperavam o Jeremy Lin do New York Knicks. O Lin que pegou um Knicks de Mike D'Antoni desanimado e deu alegria aos torcedores. Com toda a sua expectativa, a crítica caiu em cima após não conseguir ser regular em Houston. Mesmo assim, atuando em todos os jogos da temporada 2012/2013, o armador teve médias razoáveis de 13,4 pontos e 6,2 assistências.

Na última temporada, Lin perdeu espaço no Houston e virou rotina assistir aos jogos do Rockets e vê-lo no banco reserva. Nas 71 partidas que atuou, ele se fez presente no quinteto titular apenas em 33. E nem assim suas médias foram baixas. Lin anotou uma média de 12,5 pontos e 4,1 assistências. Agora ele vai para o Los Angeles Lakers, outra franquia onde o peso da camisa é muito grande.

O que esperar de Lin nos Lakers? Pode-se esperar coisas boas, mas sem sonhar com o Lin da época do LINSANITY. Por mais que fique com dois dígitos na média de pontos, contribua com cestas importantes e faça seu trabalho da melhor maneira, Lin será cobrado por atuações iguais as do tempo de Knicks. O povo quer ver ele virando jogos, quer ver cestas vencedoras e por aí vai. Ele não é craque, no entanto não pode ser descartado neste momento da carreira. 

Agora acreditem se quiserem: comecei a escrever este post e estava pronto pra falar que ele seria reserva do veterano Steve Nash e, se acontecer o que aconteceu em 2013/2014, teria diversas oportunidades para mostrar seu valor, já que, em fim de carreira, Nash seguirá tendo problemas de lesão e cederá minutos à Lin. No entanto, ao mesmo tempo que estou escrevendo o post, estou vendo NFL pela ESPN e acabou de ser dada uma notícia de que Steve Nash perderá toda a temporada da NBA, novamente por lesão. Ou seja, os minutos que seriam cedidos a Lin poderão ser multiplicados agora.

Para finalizar, ele terá a sorte de atuar em uma das franquias que mais atraem o público, independente do momento que esteja. E por mais que a equipe passe por dificuldades, ele não terá toda a pressão e qualquer lampejo vai enlouquecer a torcida.

A sorte pode estar ao lado de Lin, resta saber se ele saberá aproveitar.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...