quinta-feira, 30 de outubro de 2014

324 dias depois...

Fala galera! Na noite da última terça-feira presenciamos a queda da Portuguesa de Desportos para a Série C do Brasileirão. Após péssima campanha, faltando ainda cinco rodadas para o fim do campeonato, e não existem mais chances matemáticas para resgatar a Lusa.

Uma história que começou no dia 9 de dezembro de 2013, um dia após a última rodada do Brasileirão de 2013. Nesse dia foi identificada uma possível irregularidade da Lusa, que até então havia se assegurado na Série A de 2014, e a possibilidade de punição rebaixaria o time paulista.

O resultado todo mundo já sabe, punição ao clube paulista que "tomou" o lugar que pertenceu a Fluminense e Flamengo na queda para a Série B.

Veio 2014, uma das primeiras ações da diretoria foi abrir mão de qualquer recurso (após o julgamento do Pleno) para reingressar na elite, em troca disso conseguiu um empréstimo para quitar dívidas e planejar o ano.

Mas a vaca já estava com um pé no brejo...

Eliminada na primeira fase do Paulistão, a equipe se complicou logo de cara na Série B. Já na primeira rodada, com a partida contra o Joinville em andamento, uma liminar fez com que o jogo fosse paralisado. O papel dizia que a Lusa havia recuperado o lugar na Série A até segunda ordem. Os jogadores não queriam sair, mas sob pena de prisão ficaram sem ter o que fazer. Partida suspensa aos 18 minutos do primeiro tempo.

Com a liminar caçada a equipe acabou perdendo o jogo, alegando abandono de campo, e já iniciou sua campanha na lanterna.

Faltando cinco rodadas para o fim, uma campanha pífia: 3 vitórias, 12 empates e 18 derrotas. Foram 25 gols marcados e 52 sofridos. A equipe está 5 pontos atrás da penúltima colocada e 17 atrás do Oeste, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Ou seja, não existem mais chances de salvação.

O rebaixamento confirma o que pode ser considerada a maior crise da história do clube do Canindé. Pela primeira vez na história a equipe disputará a Série C. A Portuguesa de Dener, Paulinho McLaren, Alex Alves e Djalma Santos respira por aparelhos.

Uma nova redução na arrecadação da equipe pode significar o fim do clube.

Um clube que em apenas 324 foi do céu ao inferno, uma instituição que em menos de 1 ano virou um Titanic do futebol.

Os próximos capítulos desse filme ainda são um mistério, melhor aguardar e torcer para que o final dessa vez seja feliz.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...