quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Diogo Silva: até quando?

Fala galera! Hoje voltamos a falar do Vasco da Gama aqui no Resenha Esportiva. Não nego pra ninguém que sou Flamengo, mas acredito que nesses mais de cinco anos de blog já consegui dividir bem a paixão da razão na hora de escrever, por isso me sinto à vontade para falar um pouco da situação vascaína quando se trata de goleiros.

Com uma campanha ruim, culminando com o rebaixamento no Brasileirão de 2013, um dos pontos mais criticados por torcida e imprensa foi a qualidade de seu camisa 1. Durante o ano defenderam o gol cruzmaltino os atletas Alessandro, Diogo Silva e Michel Alves. Todos foram muito mal, falharam, comprometeram o desempenho do time, sou capaz de dizer que com um goleiro melhor o Vasco não teria sido rebaixado na temporada.

Diogo durante sua apresentação em 2012
entre Rodrigo Caetano e Jorge Moraes, o empresário
Em determinadas partidas a equipe vencia, caso do jogo contra a Ponte Preta, e levou a virada com falhas bisonhas. Foram pelo menos 11 pontos perdidos com falhas grotescas dos goleiros.

Mas entre os três, quem ganhou mais destaque com certeza foi Diogo Silva, que mesmo com todas as falhas continuou defendendo o clube na ausência do uruguaio Martín Silva, contratado para suprir a carência da posição, e que deu conta do recado.

Diogo foi contratado depois de ótima temporada em 2011 pelo Nova Iguaçu, primeiro veio por empréstimo, depois vendido em definitivo. O Vasco deveria pagar 10 parcelas de 100 mil reais para o clube da Baixada. Pra piorar a situação, em abril desse ano a justiça obrigou a penhora de 20% da renda de todos os jogos do Vasco para quitar a compra do goleiro, que foi para São Januário pela bagatela de 1 milhão de reais.

Mas o dinheiro é o que menos importa quando o assunto é Diogo Silva... suas falhas continuaram em 2014, ele continua sendo questionado, entra técnico, sai técnico, e ele continua jogando. Por que?

Jorge Moraes, seu empresário, presidente da ABAF (Associação Brasileira de Agentes de Futebol) chegou a dar entrevistas dizendo que esse seria o ano do goleiro, já que em 2013 ele se tornou um jogador inseguro, devido às falhas.

O empresário agencia também atletas como Gum, Andrezinho, Amaral (Flamengo), Léo Gago, Elias (ex-Botafogo) e William Barbio. Ao que parece, é quase um dono do Nova Iguaçu, já que lá se encontram a maioria dos jovens que tem a carreira gerenciada pelo empresário, de lá também saiu Aírton, hoje no Botafogo e que era empresariado por ele. E ao que tudo indica, é um empresário com livre trânsito nos clubes cariocas e no Bahia (reduto de refugos cariocas).


Treinando em São Januário
Será que o motivo de tantas oportunidades para Diogo está no homem que gerencia sua carreira? Será que os treinadores se submetem a interferência externa na escalação do time ou será que isso é lenda?

A torcida vascaína não aguenta mais, chegamos ao ponto que nem os torcedores rivais aguentam mais (pois é, pra mim já deu, hora de trocar), e Joel Santana, o novo treinador, já deixou claro que Jordi, garoto revelado na base de São Januário assumirá a posição de Diogo, reserva de Martín Silva.

Que fique claro que não tenho nada contra Diogo Silva, o ser humano, e acho que ele merece respeito como tal, mas para o bem de sua carreira e para o bem do Vasco, o ideal é que saia do clube, não há mais clima  para novas trapalhadas. De repente indo pra bem longe, pra China, pra Arábia, pra Coréia, ele possa recomeçar sua carreira, fazer seu pé de meia, e viver feliz para sempre, sendo esquecido de vez pelos vascaínos.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...