sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sócio Torcedor

Fala galera! Apaixonado que sou pela área de marketing, já tive a oportunidade de escrever alguns textos sobre a prática (ainda pré-histórica) nos clubes brasileiros. Também já mostrei que o Movimento Por um Futebol Melhor alcança patamares expressivos para os clubes que ainda engatinham no projeto.

Juntando sócio torcedor e marketing, tive acesso ao modelo utilizado pelo Fluminense, e por mais crítico que eu seja da parceria Flu-Unimed (isso é assunto pra outro post mas muitos já sabem minha opinião), tenho que tirar o chapéu para o formato adotado pelo clube nessa questão.

Sou sócio torcedor do Flamengo, como já disse por aqui, mas o nosso projeto não chega aos pés (e os números estão mostrando isso) do que é executado por Peter Siemsen e sua trupe.

Seedorf em campanha pelo ST do Fogão
Comparando os clubes, o Flu ocupa a 11ª primeira colocação com aproximadamente 22 mil sócios torcedores, o Fla é o 6º com mais de 54 mil. A diferença é grande, vocês podem achar, mas se levarmos em conta o tamanho das duas torcidas podemos ter certeza que o trabalho desempenhado pelo Flu é mais efetivo no momento.

E consegui identificar algumas diferenças (umas pequenas, outras gritantes) do modo como os clubes atuam, são elas:

* A carteirinha de sócio-torcedor do Fluminense tem a foto e os dados do sócio, no Flamengo consta apenas o nome e um número de documento de identificação. A foto da carteirinha do Flu não é necessariamente uma 3x4. O torcedor envia a foto que quiser, pode ser com a camisa do clube, na arquibancada, ou qualquer outra que desejar.

* O sócio do Fluminense adquire direito a voto nas eleições de clube após 2 anos no programa e com a obrigação de estar em dia com as mensalidades. O Grêmio já nos deu um ótimo exemplo de como isso pode funcionar bem, mostramos aqui no blog inclusive.

* O preço é único, R$ 29,90 ao mês. No Flamengo são várias faixas de preço que vão de 29,90 a 199,90 ao mês onde as mais caras tem como benefício a prioridade na compra de ingressos, o que não é necessário hoje em dia já que a lotação dos estádios não chega aos 100% em praticamente nenhuma oportunidade.

* O sócio torcedor do Fluminense tem o direito de frequentar as instalações do futebol no clube. Ele tem direito a visitar sala de troféus, restaurante temático, ver os treinos da arquibancada e visitar a loja do clube. No Flamengo, para ter acesso à lojinha que fica dentro do clube (e a ida até essa loja é guiada por um funcionário, não sendo permitido o desvio de rota) é necessário que se deixe a carteira de identidade na recepção.

Procurei detalhes sobre os planos de Botafogo e Vasco e vi muitas semelhanças com o do Flamengo: carteirinha sem foto, sem acesso ao clube, sem direito a voto. A diferença é o preço. Enquanto o Vasco aposta em um valor simbólico de 20 reais, o Botafogo explora várias faixas entre 14,90 (um plano exclusivo para crianças de até 12 anos) e 159,90.

Mas o que mais me chamou a atenção no caso do tricolor foi a forma como trataram um amigo.

Com um filho de 1 ano e 5 meses, o tricolor Luiz Felipe Furtado, que já participou de alguns hangouts conosco aqui no Resenha Esportiva, entrou em contato com o programa visando renovar o número de seu cartão de crédito, que havia vencido.

Na oportunidade ele aproveitou para saber se seria possível incluir o pequeno Gabriel como seu dependente no plano, situação que o plano padrão não previa. O atendente pediu que enviasse por e-mail os dados do pequeno tricolor juntamente com uma foto.

No mesmo dia Felipe recebeu a tão sonhada carteirinha do filho com uma linda mensagem do clube em anexo:

Ooo Gabriel é tricolor!
"Prezado Luiz,
Muito legal a iniciativa para o Gabriel! Acredito que ele lembrará disso quando estiver mais velho e possa acompanhar o Flu com os próprios passos.

Seu filho fez sucesso aqui no clube! Lindo!! Parabéns e parabéns também pelo recente Dia dos Pais.
Saudações Tricolores!!!"


A carteirinha de Gabriel chegou sem custo algum às mãos do "papai babão", o clube entendeu que o maior benefício que um torcedor tem ao aderir o programa de sócio torcedor é justamente o desconto no ingresso. Como a lei do Rio de Janeiro determina que menores de 12 anos tem direito a entrada gratuita nos eventos a gratuidade na carteirinha foi uma ótima forma que o clube encontrou de ampliar sua gama de torcedores.

Para o pequeno Gabriel ainda não tem muito valor, mas em um futuro próximo pode ser essencial para que ele finque suas raízes tricolores, para o papai Felipe é a conquista de um sonho, para o Fluminense a valorização do torcedor e a capacidade de renovação de seus apoiadores.

Parabéns Fluminense! Parabéns Felipe! Parabéns Gabriel!
E que o Maracanã seja pequeno pra vocês diante de tamanha alegria! E que os outros clubes sigam o ótimo exemplo demonstrado!

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Só um detalhe. No Fluminense existe um plano mais caro, cento e poucos reais, que dá 100% do ingresso dentre outros benefícios.
    No mais, parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É porque no caso foquei apenas no programa de Sócio Torcedor. Não entrei nos detalhes de planos de Sócio Contribuinte ou Sócio Proprietário.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...