quarta-feira, 9 de julho de 2014

Pelo bem do futebol

Fala galera! O texto hoje seria outro, eu falaria um pouco sobre a nossa seleção, os prós e contras da campanha, o que esperar do futuro e tudo mais, eu não esperava que a Argentina fosse eliminar a Holanda... diante desse resultado fui obrigado a mudar a pauta...

A final de domingo entre Alemanha e Argentina coloca frente a frente duas nações tradicionais, coloca duas seleções que já fizeram duas finais de Copa do Mundo, com uma vitória pra cada lado. Nossos hermanos faturaram em 86 com Maradona, quatro anos depois levaram o troco com Matthäus. Além disso já se enfrentaram em outras quatro oportunidades em Copas. Vitórias da Alemanha em 58 e 2010, empate em 66 e 2006 (nessa os europeus levaram a vaga nos pênaltis).

Mas se em Copas do Mundo a Alemanha leva vantagem, no total de confrontos dá Argentina. São 9 vitórias contra 6 derrotas e 5 empates. O último amistoso também ficou com os sulamericanos, vitória por 3x1 em pleno território inimigo com direito a show de Messi.

Mas deixando as estatísticas de lado, vamos falar do título do post, título esse que mostra bem o motivo da minha torcida pela Alemanha nessa decisão.

Não tenho problema com os argentinos, nada contra. Acho Messi fantástico, um ET, como já escrevi aqui no Resenha Esportiva. Mas analisando friamente dá pra perceber que a Argentina não faz uma Copa do Mundo para estar na final, pelo menos no que condiz a futebol apresentado dentro de campo. Em seis partidas foram cinco vitórias e um empate, mas dessas cinco vitórias, três foram por 1x0, duas delas com gol nos últimos 5 minutos de partida. Ao todo foram oito gols marcados e três sofridos.

Do outro lado do campo estará a Alemanha que humilhou a Seleção Brasileira por 7x1. Mas mais do que isso, estará a seleção que vem encantando o mundo desde 2006. Uma geração vitoriosa, planejada, de toque de bola refinado, veloz e objetiva. A geração de Müller, Neuer, Lahm, Özil, e porque não, de Klose. Em seis partidas os alemães também venceram cinco e empataram um. Só que anotaram 17 gols e sofreram quatro.

Pra um torcedor como eu, que cresceu ouvindo meu pai falando da Seleção de 82, e que depois de me apaixonar pelo esporte resolvi estudar sobre o tema, ver uma seleção que joga o fino da bola perdendo uma Copa, pode ser tão sofrido para o futebol como foi para os brasileiros naquela época.

Sempre tive a impressão de que as derrotas da Holanda de 74 e do Brasil de 82 sepultaram o futebol alegre e vibrante, ofensivo. Depois disso a impressão que me dá é que os times e seleções resolveram jogar pelo resultado, já que o que valia era o êxito nas competições, e não o espetáculo. Salvo um Barcelona ou um Bayern da vida, que surge de tempos em tempos, o futebol virou um esporte burocrático, onde não tomar gol é mais importante do que fazer.

Domingo esses opostos estarão lado a lado novamente. O futebol bonito, alegre, vibrante e ofensivo da Alemanha, contra a defesa (duramente criticada antes da Copa) eficiente, fechada e de resultados da Argentina.

Se Messi não descer de sua nave espacial e apresentar seu repertório, a chance de uma vitória argentina fica 100% por conta da defesa e de Romero, o "novo Goycoechea".

Mas como eu quero que dê a lógica, torço para a Alemanha faturar o seu quarto título mundial e premiar seus jovens talentos e seu ótimo treinador comedor de meleca. Espero muito que isso aconteça, pelo bem do futebol!

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...