terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Revoltado parte 2 - Os dirigentes

Como falei ontem, eu voltei agora pra falar da atitude dos dirigentes esportivos do Brasil com relação às batalhas que acontecem nas arquibancadas. Comecei a acompanhar futebol em uma época que tinha Márcio Braga, Eurico Miranda, Carlos Augusto Montenegro, Zezé Perrela, Vicente Matheus, Mustafá Contursi, Fábio Koff e cia. Muitos deles continuam na frente dos clubes, ou ao lado deles, pelo menos.

O que deu pra notar de lá pra cá, é que por mais que os clubes tenham se profissionalizado, ou pelo menos tentado, eles ainda dependem da força política de seus velhos mandatários, ou acham que dependem.

Quando vejo Eurico Miranda aparecendo novamente na mídia, tudo me leva a crer que algo de ruim vai acontecer com o futebol brasileiro. Não pensem que é clubismo, de forma alguma, não gostaria de ter uma pessoa como ele no comando do Flamengo, e olha que já tivemos muita gente ruim hein...

Ao contrário do que muitos pensam, dirigentes como ele são responsáveis diretos por toda a baderna que acontece nas arquibancadas. Os caras incentivam, dão ingressos para os marginais em troca de aplausos, de paciência com a péssima gestão, ajudam financeiramente na compra de materiais, bandeiras, instrumentos.

Voltando ao Eurico (que personagem se encaixaria melhor nesse momento?)... li na internet que ele era a favor da paralisação da partida entre Atlético e Vasco depois da confusão que estancou. Criticou a diretoria atual, chamou de "frouxa" inclusive. Estranho é vê-lo defendendo a paralisação dessa partida depois do que aconteceu em 2000 na final da Copa João Havelange... as grades que separavam os torcedores do gramado cedeu, muitos feridos, juiz querendo parar o jogo, e na ocasião, com o Vasco "por cima da carne seca", ele não aceitou de forma alguma a paralisação. O jogo chegou a recomeçar com um cordão de isolamento formado por seguranças, mas era fato que não tinha como terminar em boa coisa, e a partida parou novamente.

Incoerência ou oportunismo?

A verdade é que os fatos só comprovam que os torcedores (os de verdade) merecem respeito, e pra isso precisam cobrar o respeito, precisam tirar de seus clubes, de duas paixões, esses caras que só se aproveitam da situação para crescer, nenhum deles gosta do seu clube, todos eles gostam de aparecer, nenhum deles pensa no futebol brasileiro, todos eles pensam em seu próprio bolso.

Amanhã tem mais... a parte 3... minha opinião final sobre o "caso Joinville".

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Olá, Luiz!
    Dinamite está lutando com toda sua força para jogar o próprio nome na lama. Faltou os que afundaram o Galo... rs. Sr Paulo Cury, inicio dos anos 90, e Ziza Valadares, inicio dos anos 2000. www.assuntodofutebol.com.br

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...