quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Futebol mineiro em alta

* Por Rafael Moreira Neves

Esse ano de 2013 houve uma queda na hegemonia de títulos do futebol de Rio e São Paulo, o que deve ter incomodado bastante a tão inflamada imprensa desses estados. Com o título do Campeonato Brasileiro conquistado pelo Cruzeiro e o título da Libertadores conquistado pelo Atlético – que ainda vai disputar o mundial de clubes – o futebol mineiro quebra uma sequência de anos de vitórias de times paulistas ou cariocas.

 Desde 2004 que o campeão brasileiro vem alternando entre times do Rio e de São Paulo, o último campeão de um estado diferente foi o Cruzeiro em 2003. Nesse período foram 6 títulos para os paulistas e 3 para os cariocas.

Na libertadores os últimos dois times brasileiros que foram campeões são de São Paulo, em 2011 o Santos, em 2012 o Corinthians. Considerando o total de títulos de times brasileiros mais de 58% pertencem ao eixo Rio-São Paulo.

Mas qual a fórmula usada pelo futebol mineiro para essas conquistas? Os investimentos e apostas no elenco e comissão técnica que foram realizados. O elenco para as duas conquistas foram invejados por vários times, os jogadores reservas entravam com o mesmo nível de futebol dos titulares. Temos que citar também a reinauguração dos estádios do Mineirão e Independência, que trouxeram os jogos de volta a capital, e com isso, os torcedores para incentivar o time.

Na equipe do Cruzeiro houve um tempo importante no início do ano para se preparar, a folga no calendário ajudou a equipe a chegar à reta final do brasileiro com mais vigor físico e menos desgastes. Tivemos apostas no técnico Marcelo Oliveira, que foi bastante criticado em sua contratação, mas soube dar a volta por cima e conquistar o primeiro título importante na sua carreira. Outra aposta bem sucedida foi a dupla Dagoberto e Borges que já haviam feito boa atuação no São Paulo e voltaram a repetir boas atuações no Cruzeiro.  A contratação do zagueiro Dedé deu segurança à defesa do time. Um meio de campo bem organizado com Nilton e Lucas Silva. Destaques importantes no time como Everton Ribeiro, Ricardo Gourlart e William que souberam com muita classe fazer parte de momentos decisivos dessa equipe.

Na equipe do Atlético, comandada pelo técnico Cuca, contava em seu elenco com Ronaldinho Gaúcho (que voltou a atuar como em suas melhores fases), Bernard, Tardelli, Jô e Victor (que foi decisivo nas decisões por pênaltis). O bom toque de bola, envolvendo os adversários, com muita objetividade para o gol e a superação nos momentos difíceis foram as marcas registradas dessa equipe.

Mas o ano ainda pode reservar títulos para Rio ou São Paulo, pois o Flamengo está final da Copa do Brasil e o São Paulo e a Ponte Preta estão na semifinal da Copa Sul-Americana. Porém o foco deste post não é ir contra os times do Rio ou São Paulo, talvez como foco bem distante, propor uma reflexão sobre os programas e as emissoras que tem sua programação toda voltada para alguns times, esquecendo que no Brasil há outros tantos clubes merecendo o seu espaço pelo trabalho que desempenham. O objetivo é tão somente enaltecer o brilhante futebol apresentado pelos times mineiros esse ano, com títulos e campanhas que entraram para a história.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...