sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Diego Costa

Fala galera!

Com certeza um dos assuntos mais falados (se não o principal) e veiculados na imprensa dessa semana foi a decisão do atacante Diego Costa, que teve que optar entre vestir a amarelinha da Seleção Brasileira ou atuar pela Seleção da Espanha, sem chance de volta para o Brasil. Desde as semanas anteriores, muita especulação havia sido feita sobre a decisão que ele tomaria e as consequências que poderiam vir a acontecer a partir daí.

Todos já devem saber, mas vai aí um resumão: Diego Costa é um brasileiro, naturalizado espanhol e que joga como atacante no Atlético de Madrid, da Espanha. Nunca jogou profissionalmente pelo Brasil. Seu primeiro clube profissional foi o Sporting de Braga, de Portugal. Depois disso, passou por diversos times, todos eles da Espanha, entre eles: Celta de Vigo, Valladolid, Rayo Vallecano e Atético de Madrid. Pela Seleção Brasileira, nunca havia atuado, com exceção de dois amistosos nesse ano de 2013, contra Itália e Rússia. E, justamente por ter atuado apenas em amistosos, ele foi almejado e virou alvo do técnico espanhol Vicente del Bosque, que demonstrou interesse em "repatriar" o jogador e fazê-lo atuar pela seleção espanhola.

Pronto! Foi só brotar esse interesse externo (no caso, da Espanha), que a CBF decidiu agir e entrou na briga pelo atacante. Houve até um trote com Felipão, onde ele havia revelado que o jogador seria até convocado para os próximos jogos de seleção para a Copa do Mundo, com grandes chances de vestir a camisa do Brasil em 2014, dentro de seu próprio país. No final das contas, Diego Costa acabou optando pela Espanha e causando um grande mal estar na CBF e em seus principais membros.

Nesta última terça feira, através de uma carta oficial, o goleador do campeonato espanhol recusou o convite de Felipão para os próximos amistosos da seleção brasileira e comunicou, de forma definitiva, sua decisão de atuar pela Espanha, junto com os craques Xavi, Iniesta, Fábregas, Pique e cia. ltda. Instantaneamente, Felipão ficou inflamado, falou que o jogador estava automaticamente desconvocado (?), que ele estava traindo o país, negando a nação e blá blá blá.

Pois aí vai a minha opinião: eu, no lugar do Diego Costa, teria tomado exatamente a mesma decisão. A verdade é que a CBF e os treinadores que passaram pelo Brasil sempre ignoraram a existência de Diego Costa. Agora, que ele vive um grande momento no campeonato espanhol e no Atlético de Madrid e despertou o interesse da Espanha, surge um interesse súbito e repentino também da CBF. No meu modo de ver, isso é mais picuinha do que vontade de realmente ter o atacante no plantel. É óbvio que na Espanha ele enfrentará uma concorrência muito menor (com Torres, Villa, Pedro, Soldado) pra conquistar a vaga de titular. Além disso, como ele mesmo disse, ele deve tudo o que tem hoje à Espanha, pois foi o país que o acolheu e foi onde ele conquistou tudo o que tem na vida, em termos de fama, status e dinheiro. Feio seria se ele negasse isso, ignorasse o interesse espanhol e voltasse, de braços abertos, para o país que nunca o reconhecera como deveria.

Agora, Felipão, falar que Diego Costa deu as costas à nação? E quando você aceitou o convite para treinar Portugal? E quando você fez a mesma coisa, repatriando o zagueiro Pepe para atuar pela seleção portuguesa?

Sorte, Diego Costa!

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...