quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Cabeça de chave ou de bagre?

Fala galera! A Fifa divulgou na última semana uma atualização de seu questionado ranking. Essa classificação servirá como base para a definição dos cabeças de chave da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. De acordo com a entidade, o Brasil, país-sede, e mais os 7 primeiros dessa relação, entram com esse posto no Mundial.

O critério não é novo, em 2010 já havia sido utilizado sem levantar muita polêmica. Na ocasião, Brasil, Espanha, Holanda, Itália, Alemanha, Argentina e Inglaterra, além da anfitriã, África do Sul, ficaram no "pote 1". Das grandes seleções tivemos a ausência da França, que teve que disputar a repescagem, assim como em 2014.

No sorteio anterior, como já falei, não tivemos polêmica pelo fato de que todas as seleções eram consideradas potências mundiais, não tinha uma seleção sequer que poderia ser questionada, já em 2013 será diferente. Com boas campanhas da Colômbia, Suíça e Bélgica, as 3 aparecem como integrantes do primeiro pote do sorteio, deixando de fora Itália e Inglaterra, e caso o Uruguai se classifique na repescagem, ainda tira a Holanda desse seleto grupo.

PRA QUE SERVE AFINAL UM CABEÇA DE CHAVE?

Pra nada... ou melhor... praticamente pra nada... o fato de termos seleções consideradas mais fracas no primeiro pote, deixa no ar a possibilidade de um, ou vários, "grupos da morte". É possível que tenhamos Brasil, Itália, México (caso se classifique) e Costa do Marfim em um grupo, ou Alemanha, Holanda, Estados Unidos e Gana em outro. É possível... Mas no âmbito geral, o fato de ser cabeça de chave ou não, não impede que a seleção enfrente adversários fortes logo de cara, pois de uma forma ou de outra já teremos a França e Portugal, caso se classifiquem também, entre os integrantes do pote 2.

Fonte: estadao.com.br
Eu considero justo o critério do ranking para selecionar os potes do sorteio, ele precisa servir pra algo, como é no tênis, por exemplo.

O que não considero legal é a forma como o ranking é feito, isso não é bom. De repente, a partir dessa avaliação feita em 2014, dessas críticas, a Fifa possa reformular a pontuação do ranking, fazendo com que em 2018, quando a Rússia entrará como cabeça de chave, nós tenhamos mais seleções consideradas de tradição no pote principal do sorteio.

E por hoje é só...

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Foi muito estranho mesmo... Querem chamar atenção de qualquer jeito.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...