sábado, 17 de agosto de 2013

Resenha in Loco - Miami Dolphins @ Jacksonville Jaguars

Dessa vez, o Resenha In Loco foi até os Estados Unidos!

Tive a fantástica experiência de acompanhar o jogo entre Miami Dolphins x Jacksonville Jaguars, no último dia 09/08. Irei narrar abaixo todas as minhas impressões, dando dicas para as pessoas que queiram um dia assistir a um jogo da NFL.

A Cidade.
 Jacksonville é a maior cidade da Flórida em área territorial. Possui esse nome em homenagem a Andrew Jackson (O sétimo presidente dos EUA). A cidade é cortada pelo rio St. Johns, no qual desemboca no mar na mesma. Jax (como seus moradores gostam de apelida-la) possui uma vibrante vida noturna, além de uma área histórico-cultural que não é muito comum nas cidades da Flórida. Dicas de lugares para vistar: MOCA Jax (Museu de Arte Contemporânea de Jacksonville); Downtown Jacksonville; The Cummer Museum of Arts & Garden.

Dia do jogo 
O clima para o jogo é bem diferente do que estamos acostumados no Brasil. Desde de manhã, você via diversas pessoas usando uniforme das equipes. Bares, lojas e restaurantes colocavam em seus letreiros mensagens de apoio ao time da casa, além de promover diversas promoções do tipo: "A cada touchdown, 50% de desconto na bebida". Os canais locais não ficavam para trás, sempre mostrando flashes diretamente do estádio e exibindo durante a programação normal, um relógio com a contagem regressiva para o início do jogo.

Saí para o estádio às 17:30, devido aos diversos alertas em relação a nova política de entrada nos estádios da NFL. Eles proibiram a entrada de bolsas, a não ser que elas sejam transparentes. Logo, muita gente foi pega de surpresa, o que causou certas filas. Mas isso não atrapalhou em nada.Fiquei hospedado num hotel na margem oposta ao do estádio. Logo, peguei uma barca para chegar lá. Paguei U$ 6 dólares e recebi o direito de ir e voltar quantas vezes quisesse
Chegando lá, me deparei com as famosas festas de tailgate. A tradução literal dessa expressão seria porta-malas. As "festas de porta-malas" consistem em diversos carros parados um ao lado do outro, equipados com churrasqueira, frigobar e som, além de gente com muita disposição para beber e comer até não aguentar mais. Isso é bem tradicional antes dos jogos da NFL. Abaixo, segue um vídeo que fiz:





A entrada no estádio foi extremamente organizada, apesar da revista e o monitoramento rigoroso.

O jogo.


Fiquei no segundo nível do estádio. Apesar de ser um pouco longe do campo, fiquei numa posição mais centralizada, pois queria ver as formações ofensivas e defensivas.

A entrada da equipe da casa em campo é um verdadeiro espetáculo. Fogos, musica, mascote e diversos gritos de guerra puxado pelos próprios jogadores. Nesse jogo, o time defensivo dos Jaguars foi chamado de forma especial, onde cada jogador era chamado nominalmente.

Por se tratar de uma pré temporada, os titulares ficaram pouco em tempo em campo. Já na metade do primeiro quarto, o time ofensivo dos Dolphins já estava descansando. O time ofensivo e defensivo dos Jaguars ficaram durante todo o primeiro quarto. Após isso, foi um festival de jogadores novatos ou reservas em busca da titularidade, o que deixou a partida tecnicamente inferior, mas muito disputada.

Impressão dos times. Miami está no caminho certo. O ataque demonstra que anda se acertando com o comando de Ryan Tannehill (QB) e o time defensivo não é muito bom, mas tem capacidade de manter a média. Já Jacksonville terá muito que trabalhar. O time defensivo possui até certa qualidade, afinal é o ponto forte do novo treinador, Gus Bradley (a mente por trás da poderosa defesa do Seattle Seahawks). O time ofensivo é muito fraco. Por essa razão, acredito que a franquia é forte candidata a ter a primeira escolha do Draft do ano que vem.

Saída do estádio.


No último quarto da partida, resolvi sair do meu lugar e tentar chegar o bem perto do campo. Já que o estádio estava bem vazio naquela altura, os seguranças não se importaram comigo e fui assistir ao jogo bem de perto.

Após o fim da partida, a saída do estádio foi bem tranquila, apesar dos diversos americanos embriagados. Isso acontece porque a cerveja no estádio é refil: Você paga U$ 9 dólares num copo, que lhe dá direito a "reabastece-lo" por apenas U$ 3 dólares. Se você não tivesse esse copo, pagaria U$ 6 dólares pela mesma quantidade de cerveja.

Impressões finais: Foi uma experiência única, um sonho realizado. Se você for aos Estados Unidos na época em que tiver acontecendo os jogos da NFL, não perca a chance de ir. Não importa para o time que você torce, o espetáculo e o jogo é superior a isso.

Resumo de gastos, caso você pense em fazer o roteiro: (não inclui aqui passagem aérea nem translado, pois já estava nos EUA)

Hotel ao lado do estádio: U$ 75,80 (diária)
Ingresso: U$ 18,00*
Gastos com transporte: U$ 6,00
Gastos com comida e bebida no estádio (para uma pessoa): U$ 25,00
Camisa do time da casa: U$ 30,00

*Para adquirir ingressos, usei o Stubhub. É uma espécie de "Mercado Livre" dos ingressos, onde as pessoas vendem ingressos de eventos que se arrependeram e/ou não podem comparecer. Para se ter uma idéia, o ingresso normal para a área que comprei custava U$ 40 dolares. Paguei U$ 18 comprando pelo site.

Não tem um time na NFL? que tal visitar www.azcardinalsbr.com. Venha fazer parte da Bird Gang!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...