quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Refugo Mineiro

Fala galera! O Atlético Mineiro foi o campeão da Libertadores de 2013 e entra com muita força para a disputa do Mundial do Marrocos no fim do ano. Também não pode ser deixado de lado na Copa do Brasil e no Brasileirão. Afinal, porque esse time deu certo se tinha tudo pra dar errado?

O time foi formado com "sobras" dos outros times do Brasil, jogadores que não vinham sendo aproveitados ou que tiveram problemas em seus ex-clubes. Victor foi liberado pelo Grêmio de maneira fácil, Leonardo Silva trocou o Cruzeiro, onde era questionado, pelo Galo, Richarlyson e Júnior César saíram pela porta dos fundos de São Paulo e Flamengo, respectivamente. Josué voltou da Alemanha onde pouco jogava, Pierre saiu do Palmeiras e sofria com lesões, o mesmo podemos dizer de Gilberto Silva, que veio do Grêmio.

Um pouco mais pra frente ainda tem Rosinei, que pouco aparecia no México, Ronaldinho, que todo mundo sabe como saiu do Flamengo, Alecsandro, esculachado pela torcida vascaína, Guilherme, que nos 3 anos anteriores não havia jogado nem 30 partidas na Ucrânia e na Rússia, e Jô, que saiu do Inter por falta de espaço em um ataque que contratou Rafael Moura.

No banco o time ainda conta com Cuca, um bom treinador, excelente montador de time, mas que sofre com o psicológico e tem uma fama de azarado que não está no gibi.

Como pode um time desse ter dado certo? Há 1 ano atrás todos riam do Galo, o rebaixamento era praticamente inevitável...

Mas o time começou a dar liga... no Brasileirão disputou o título contra o Flu, jogo a jogo, perdendo no final. Mas saiu de forma heróica do campeonato, garantindo a vaga na Libertadores que não disputava desde 2000, quando foi eliminado pelo Corínthians.

No Mineiro desse ano garantiu o título, o que transmitia aquela velha sensação de que "só ganha o Rural", como os cruzeirenses gostam de falar.


Se classificou com a melhor campanha na primeira fase da Libertadores, o que deixava a torcida mais aflita ainda, já que desde 1996 um time não vencia o torneio terminando em primeiro essa fase. Tinha tudo pra dar errado...

Nas quartas um duelo épico contra o Tijuana, um pênalti defendido por Victor, um dos refugos, no último minuto do jogo, classificava o Galo, a mística do "caiu no Horto, tá morto" começava a ser escrita.

Veio a parada para a Copa das Confederações, a vantagem que o time tinha contra os rivais, que era justamente o entrosamento, seria perdida nesse período. Cuca já mostrava sinais de destempero que lhe era peculiar até então, parecia inflar seus jogadores da pior maneira possível, alguns poderiam se exceder durante as partidas, chegamos a ver um Bernard extremamente nervoso em alguns momentos, por exemplo.

A dupla de zaga titular não jogaria contra o Newell´s na semifinal, Rever estava suspenso, Leonardo Silva machucado. Mais uma vez um resultado ruim no jogo de ida, o 2x0 parecia ditar a eliminação do Galo, que até então tinha sofrido gol em todos os jogos do torneio, um golzinho do time argentino no jogo de volta complicaria de vez a vaga na tão sonhada final.

Logo no início o Atlético marcou, aumentou as esperanças, mas o segundo gol insistia em não sair. O time argentino até cresceu na partida, chegou a pressionar, mas um pique de luz no estádio e tudo voltava a ficar preto (e branco) novamente. Guilherme, outro refugo, marcou de fora da área no finalzinho do tempo regulamentar, tudo igual no placar agregado. Victor salvou na disputa por pênaltis depois de Jô e Richarlyson, mais dois refugos, errarem suas cobranças. Galo na final.

E lá o filme se repetiria... 2x0 fora de casa e mais uma vez tudo parecia perdido. Dessa vez o aperto foi pior... o time não marcou no primeiro tempo, seriam 45 minutos para marcar ao menos 2 gols e não sofrer nenhum... Mas dois refugos mudariam a história... Jô marcando no início do segundo tempo, e Leonardo Silva no finalzinho, um pouco depois de Ferreyra desperdiçar um gol já com Victor batido.

Era demais pra torcida... outra disputa por pênaltis.

Só que dessa vez ninguém errou, Victor nem foi tão exigido, e no final o Atlético Mineiro, o time dos refugos, comemorava sua primeira Libertadores, mostrando ao mundo que um time pode ser montado com peças descartadas de outros rivais. E mais... não duvidem que esse time saíra de Marrakech com mais um título, é muito provável que isso aconteça. Afinal... pra esses jogadores que lá estão, nada é impossível.

Mas a pergunta ainda não foi respondida... e talvez nem tenha uma solução... deixo pra vocês me ajudarem.

Afinal, porque o Galo dos refugos deu certo?

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Olá, Luiz!
    Sinto-me a vontade pra falar do Atlético. Temos acompanhado, de perto, o esforço que a atual administração, encabeçada pelo competentíssimo, Sr Alexandre Kalil, tem feito para colocar o Atlético em seu devido lugar, ou seja, no TOPO. Mesmo com a falta de MAIS títulos importantes e detentor de uma dívida fiscal que, infelizmente, é comum a todos os clubes do Brasil... O clube possui uma MEGA estrutura comparada ao que tem de melhor mundo a fora. Em se tratando de futebol brasileiro pode-se dizer que o Atlético é um CLUBE rico! E muito me estranha ser pouco divulgado pelo resto do país. Com o
    Respeito, credibilidade, reconhecimento e honra resgatada, o credenciaria a figurar entre os grandes campeões e, consequentemente, voltaria a ganhar grandes títulos. lembrar-se da famosa frase do Alexandre Kalil: “vamos saber quem é o bagunceiro e o bagunçado”. www.euvistoacamisadogalo.com.br www.assuntodofutebol.com.br

    ResponderExcluir
  2. E mais... Campeonato nenhum resiste a um belo planejamento e a uma ótima organização. www.assuntodofutebol.com.br www.euvistoacamisadogalo.com.br

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...