sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Hawk-Eye em ação - a águia está de olho!

Fala galera!

A "águia" está de olho!
Hoje voltamos a falar do uso da tecnologia. No início do ano, o Luiz Paulo deu um exemplo e questionou o uso da tecnologia no tênis. Depois, foi a vez do Thiago Senra fazer uma comparação entre tecnologia x homem, fazendo um paralelo com as polêmicas que podem ser geradas. Hoje vou falar do uso da tecnologia, novamente, no futebol.

A FIFA já acenou positivamente ao uso da tecnologia nos gramados e em competições oficiais. Tem, inclusive, a intenção de usá-la na Copa do Mundo de 2014, aqui no Brasil. No início de Abril, a Premier League da Inglaterra aprovou a introdução do sistema britânico Hawk-Eye de tecnologia da linha do gol (TLG), numa tentativa de acabar com as dúvidas em lances polêmicos. Todos os 20 principais clubes votaram pela aprovação da tecnologia em uma reunião do conselho da Premier League.

A empresa britânica Hawk-Eye, conhecida por sua tecnologia de rastreamento de bola usada no tênis e críquete, afirma ser "precisa em milímetros garantindo que nenhum replay da transmissão poderia refutar a decisão". A instalação do sistema envole sete câmeras atrás de cada gol e notifica o árbitro se a bola cruzou a linha dentro de um segundo.

Imagem capturada do Hawk-Eye no jogo Chelsea x Hull City
A motivação para a adoção desses sistemas tecnológicos foi impulsionada na última Copa do Mundo (África do Sul - 2010), quando um chute de Frank Lampard cruzou claramente a linha do gol, mas o lance foi invalidado pela arbitragem. Depois disso, na Euro 2012, negaram o que seria o gol de empate da coanfitriã Ucrânia, na derrota por 1x0 para a Inglaterra, num lance em que a bola também pareceu cruzar a linha.

Pois bem, já na 1ª rodada da Premier League, que aconteceu no último final de semana, a tecnologia teve de entrar em prática. Na estreia do Chelsea, a equipe já ia vencendo a partida contra o Hull City por 2 a 0 e Ivanovic cabeceou uma bola, defendida pelo goleiro em cima da linha. Foi aí que o Hawk-Eye entrou em ação e não identificou o gol, já que o relógio do árbitro Jonathan Moss não vibrou.

Os jogadores do Chelsea não reclamaram, mas José Mourinho foi até o quarto árbitro e perguntou se seu relógio havia vibrado. Quando viu que não havia sido esse o caso, ele riu e ainda conversou com Steve Bruce, técnico adversário.
Vejam o lance no vídeo abaixo:


Até a próxima!

Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Eu não sou muito a favor da tecnologia no futebol, vejo como uma forma cara de corrigir erros humanos de uma forma que não é 100% confiável, como já mostrei aqui.

    Penso o seguinte com relação a esse dispositivo, especificamente: se ele te dá o resultado na hora, sem necessidade de ficar olhando replay, parando o jogo e etc, beleza, tá valendo, é mais um olho ajudando, caso contrário, tá fora. Lembrando sempre que apesar de ser um aparelho eletrônico, ele é operado e produzido por humanos, passível de erro também.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...