quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Quando a sorte toma a direção

Grande embate logo de cara
Foto: Fox Sports
A ideia de um sorteio é colocar a sorte de cada um como sendo responsável pelo seu destino. Dessa forma, evita-se ponderações como acusações de benefícios ou prejuízos para quaisquer partes. O outro lado disso nos leva a pensar que realmente a sorte pode pregar peças, e isso pode facilitar ou dificultar o caminho a ser precorrido.

Um exemplo disso foi a disputa da pré-Libertadores entre Grêmio e LDU. Duas equipes com vulto continental e detentoras de títulos da Libertadores (no caso do clube brasileiro até um mundial) se enfrentaram e uma delas daria adeus à competição logo de cara. Ganhamos um grande duelo mas perdemos uma grande equipe para o decorrer do campeonato.

Melhor para o Grêmio, que depois de suar para furar a retranca equatoriana levou a vaga na disputa de penalidades. Nesse tipo de confronto resta ao derrotado a reformulação para o o resto do ano inteiro. Todo o investimento que é feito especificamente para a Libertadores vai por água abaixo por que a equipe não logrou êxito no embate que a sorte lhe colocou à frente.

Ao vencedor, a chama da esperança continua acesa e o sonho do título brilha cada vez mais nos olhos do torcedor. Que venha a fase de grupos!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Acho que no caso específico da Libertadores os sorteios deveriam ser direcionados, evitando assim esses bons confrontos de cara.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...