sábado, 10 de novembro de 2012

Resenha Entrevista - Silvio Lancellotti

Fala galera! Andei pesquisando alguns posts de meu primeiro blog (Psicopatas do Futeblog) que ainda guardo em arquivo e achei interessante jogar no ar alguns esporadicamente. Pra começar vou colocar uma entrevista feita pelo Douglas Rocha, hoje na Agência EFE, e com algumas perguntas minhas, com o jornalista, cozinheiro e comentarista, não necessariamente nessa ordem, Silvio Lancellotti.

Lembrando a todos que a entrevista foi realizada no ano de 2007, portanto, algumas perguntas podem não estar de acordo com a atualidade, mas pra quem se lembra da época pode notar que foram pertinentes na ocasião.

Com direito a texto original da época, a coluna se chamava Entrevista de Craque.

Vamos lá!!!

Nossa "Entrevista de Craque" dessa semana é especial sobre o futebol italiano. E ninguém melhor do que Sílvio Lancellotti, comentarista dos canais ESPN, para falar sobre o Calcio e a seleção italiana.

Além de comentarista esportivo, Lancellotti é escritor, arquiteto e gourmet. Na área de esportes, escreveu livros de grande sucesso, como "Almanaque da Copa do Mundo" e "Brasil (quase) campeão do mundo". Na gastronomia, se destacam as obras "O Livro dos Molhos", "O Livro do Macarrão", "O livro da Cozinha Clássica" e "500 anos de gastronomia em Terra Brasilis".

1 - O senhor já comentou jogos do Calcio pela TV Bandeirantes e, hoje, trabalha para a ESPN. Quais são as diferenças da cobertura de um torneio internacional pela TV por assinatura frente à TV aberta?
Hoje, por causa da Internet, disponho de informações on-line. Antes, gastava uma fortuna com jornais, com revistas e com telefone. Sem dizer que, nos canais ESPN, um integro uma equipe gostosamente bem unida.

2 - Como o senhor vê a evolução do futebol italiano, sobretudo do campeonato local, através dos anos? É bom para o futebol local a presença cada vez maior de estrangeiros atuando pelos clubes da Itália?
Sou contra o excesso de estrangeiros. Acho que deveria haver uma limitação.

3 - A Itália sempre foi conhecida por um futebol defensivo. De onde vem essa cultura?
Essa cultura vem das Copas de 34 e de 38, e da instituição do "catenaccio", o cadeado, com um líbero atrás dos beques, nos anos 40.

4 - Quais as diferenças na forma de jogar entre o time italiano campeão mundial de 1982 da equipe vitoriosa de 2006?
O time de 82 nasceu da base da Juventus, rainha da Bota nos anos 70. Pra mim, o time de 78 era melhor do que o de 82. Praticamente os mesmos jogadores, quatro anos mais jovens - e com Bettega no ataque. O time de 2006 se desdobrou depois do escândalo dos telefonemas incriminadores - que a Comissão Técnica divulgou aos jogadores exatamente na manhã do duelo com a Alemanha. A notícia ruim fez com que cada atleta se multiplicasse por três.

5 - Hoje em dia, vemos no Brasil, times como Corinthians e Flamengo com a idéia de montarem um bom time a partir da defesa. Vemos comentaristas na mídia dizendo que a defesa corinthiana está pronta, mas o ataque ainda tem muito o que melhorar. O senhor acha que esse pensamento de dirigentes e treinadores sofre alguma influência do time italiano tetracampeão mundial, que jogava com quatro volantes e apenas Totti e Luca Toni (às vezes o Gillardino ou Inzaghi) na frente?
Nada a ver. O time do Ranieri, aliás, era bastante ofensivo.

6 - Em 2006, houve aquele escândalo de manipulação de resultados na Itália. Em 2002, houveram CPIs investigando problemas na CBF. Em ambos os casos, a seleção nacional venceu a Copa do Mundo daqueles anos e a "poeira" baixou. Esses títulos, usando uma expressão popular, "colocaram a sujeira debaixo do tapete"?
Nenhuma sujeira foi pra debaixo do tapete. Os envolvidos, todos, receberam as devidas punições.

7 - A Internazionale vêm dominando o futebol dentro da Itália. No entanto, o clube não consegue sucesso na Liga dos Campeões. O que falta para a Inter ser campeã européia? E o senhor acha que a equipe consegue sair do revés de 2x0 frente ao Liverpool?
A Inter tem trinta titulares. Bem mais do que os seus rivais no Calcio. Na LC da Europa, a situação muda bastante...

8 - Sabemos que o senhor é um cozinheiro de "mão cheia", se tivesse que comparar um prato qualquer à seleção italiana de hoje em dia qual prato seria? E qual clube poderia ser aquela macarronada maravilhosa de domingo?
Sinto, não gosto dessas comparações.

9 - Monte uma seleção de todos os tempos com jogadores brasileiros que atuaram na Itália.
Também não gosto de montar esse gênero se seleção, sinto.

Vamos encerrando por aqui a “Entrevista de Craque” dessa semana, deixando os nossos agradecimentos ao Sílvio Lancellotti.

É isso galera! Em breve volto com novos "velhos" posts do Psicopatas do Futeblog!

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Muito bom! Ele só poderia ter sido um pouco menos econômico nas duas últimas respostas né?
    Ainda assim, ficou muito bacana o papo. Parabéns!!!

    Saudações!!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...