quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Os desafetos



Fala galera! Esse mês saiu uma boa reportagem na Placar sobre o garoto Ganso, como ele se transformou em um craque sem ter sido ainda, como virou pesadelo, como arrumou tanta confusão com o Santos, e como se tornou “persona non grata” na Vila Belmiro.

Pensando nisso me lembrei de alguns outros jogadores que não podem nem passar perto de seus ex-clubes que vão levar ovada na certa!!!

Pra começar um caso antigo. Idos de 1989... Bebeto era considerado o sucessor natural de Zico no Flamengo, era craque, autor do gol do título brasileiro de 87, mas um tal de Eurico Miranda azedou o leite rubro-negro e levou o baianinho pra São Januário. Por lá ele ficou até ser negociado com o então desconhecido Deportivo La Coruña, da Espanha, onde também se tornou ídolo. Mesmo com sua volta no final da década de 90, a torcida rubro-negra nunca mais o perdoou, e até hoje vaia suas jogadas em amistosos com a presença de rubro-negros. Situação muito parecida viveu Tita, também candidato a sucessor de Zico, e campeão brasileiro em São Januário.

Um caso internacional aconteceu na Espanha. O português Luis Figo era o grande nome do Barcelona ao lado de Rivaldo no final da década de 90. Quando Florentino Perez assumiu o Real Madrid, maior rival do Barça, e inaugurou a Era Galáticos, Figo foi uma das primeiras contratações. Junto com Beckham, Ronaldo, Roberto Carlos e Zidane fez muito sucesso no time da capital, mas nunca mais foi perdoado pela torcida catalã.

Mais recentemente tivemos os casos de Ronaldinho Gaúcho, que não pisa mais no Olímpico e nem na Gávea, e de Kleber, o Gladiador, que além de ter arrumado problema no Cruzeiro, vestindo uma camisa da torcida Palmeirense, depois voltou pra São Paulo de onde saiu corrido.

Iguais as esses casos temos mais um monte, duro é lembrar de tudo...

Se você lembra de algum conta aqui nos comentários, ou então em nossa Fan Page no Facebook!

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 comentários:

  1. O caso de Bebeto foi emblemático pra mim, adolescente naquela época. Nem tanto pela rivalidade, mas pela forma como a coisa se deu em matéria de rapidez.

    Era um inferno ter que aturá-lo no Vasco, sobretudo ao vivo, no Maracanã.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é cara... emblemático mesmo, eu tinha 7 anos na época, tava começando a me interessar de verdade pelo Fla, e o que mais me recordo foram os confrontos pelo Brasileirão 92. Aquele 4x2 no quadrangular semi-final foi histórico pra mim, tipo uma vingança mesmo!!!!

      Excluir
  2. Tenho um amigo que até hoje odeia o Bebeto kkkk

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...