sexta-feira, 2 de novembro de 2012

O futebol extra-campo

O gol de mão do argentino Hernán Barcos
Passamos por mais um momento de vergonha para o futebol brasileiro. Como se já não bastassem as frequentes e repetitivas reclamações dos erros de arbitragem, rodada após rodada, como bem foi destacado aqui no blog ontem, pelo nosso amigo Thiago Senra, ainda temos que lidar com uma tabela incompleta, com pontos não computados.

Para quem ainda tá por fora da situação e não acompanhou esta polêmica, lá vai um breve resumo: 27 de outubro, semana passada, o Internacional venceu o Palmeiras pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, pelo placar de 2x1. Eis que, nessa partida, o atacante palmeirense Hernán Barcos fez um gol de mão, após receber cruzamento dentro da área. Só isso. E acreditem se quiser: um gol DE MÃO está causando todo este alvoroço.

O Palmeiras entrou com um pedido de impugnação da partida no STDJ, alegando que houve interferência externa na decisão de anular o gol, uma vez que, no primeiro instante, o árbitro Francisco Carlos Nascimento ficou em dúvida se o gol havia ou não sido legal. A alegação é de que o árbitro auxiliar, após ser informado por uma repórter na beira do gramado de que o gol teria sido de mão, fez o alerta para o árbitro, através do uso de um ponto eletrônico - algo proibido pela Fifa.



Resultado: o STJD ainda fará o julgamento, ouvirá todas as partes envolvidas (além de Palmeiras e Internacional, o próprio Bahia deve entrar como 3º interessado, já que está na briga direta contra o rebaixamento) e o resultado final deverá sair só no final de Novembro. Até lá, a tabela do Brasileirão ficará incompleta e os demais clubes não saberão se estão na Libertadores, se estão rebaixados ou o que precisarão fazer para buscar uma classificação/fuga do rebaixamento.

Agora, minha opinião: mesmo se eu fosse torcedor do Palmeiras, teria vergonha de ver meu time lutando na justiça para anular um jogo onde o atacante do meu time fez um gol de mão, sério. Isso é desespero demais. Tão apelando pra Deus (STJD) e o mundo, santo chororô que não acaba nunca. Independente de lei de Fifa, CBF ou qualquer outra instituição. Se não anularem a partida, darei meus parabéns para os envolvidos no julgamento. Se anularem e agendarem outro jogo entre as equipes, ficarei na torcida para que o Internacional vença, mas de goleada desta vez.

Até a próxima!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 comentários:

  1. Osmar,

    esse é um dilema complicado, ficar entre a ética e a legalidade é o mesmo que entrar em um labirinto sem fim. Qualquer que for a escolha você ter problemas.

    Minha modesta opinião é que não deveria ser anulada a partida, sequer o STJD deveria ter acatado a denuncia. Esse é um sinal que problemas vem por ai.

    Mas como disse, não podemos condenar a direção do Palmeiras, esse é um caso diferente e que ético ou não, a regra é bem clara com relação a uso externo de recursos, basta "provar". O que não pode é o Palmeiras querer dizer que o Barcos só levantou a mão por que sofreu penalt e coisa e tal. O penalt existiu, mas é daqueles que árbitro nenhum dá, mas o Barcos coloca a mão na bola por querer, qualquer outro entendimento, para esse escriba é absurdo.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    clebersoares.blogspot.com

    SOMOS FLAMENGO
    somosflamengo33.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Todos tem razão e todos estão errados. Até quando acerta a arbitragem brasileira erra!!! Anotem: o BR2012 só termina em 2013. O precedenteestá aberto.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
  3. Só espero que o Palmeiras fique bem longe de escapar, senão poderemos ter um novo caso Sandro Hiroshi à vista...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...