quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O dia em que o leão virou zebra

O jogo de aberetura de uma Copa do Mundo é sempre um jogo atípico. Afinal de contas o mundo inteiro aguardou quatro longos anos para uma partida ocorresse novamente. Nesse intervalo as seleções mudam, antigas desaparecem e novas surgem, o mapa muda, pessoas mudam. A única coisa que não muda nisso tudo é a certeza de um jogo diferenciado.

Omam-Biyik cabeceia, observado por Makanaki
Em 1990 o jogo de abertura ainda era necessariamente disoutado pelo último campeão, e essa honra coube à Argentina pela conquista de 1986 e a consagração de Maradona. O adversário era o time de Camarões, sem muita expressão no cenário mundial, afinal de contas naquela época os africanos contavam com apenas duas seleções classificadas.

Além do fator técnico que se fazia um abismo entre os dois times, existia um fator extra campo que pesava consideravelmente do lado camaronês. Havia forte influência do presidente na convocação da equipe que iria ao mundial. E foi por essa pressão que o técnico Nepommiachi se viu obrigado a convoca Roger Milla, então com 38 anos. De fato ele era a maior estrela do futebol nacional. Foi eleito o jogador africano do ano de 1976 e esteve presente na única participação do país em uma Copa, em 1982, mas a sua idade avançada já pesava e isso dividiu a opinião no país.

Com todos esses fatores, os argentinos se viam amplamente superiores e chegaram a Milão dispostos a mostrar ao mundo a equipe que seria tricampeã. Mas o que se viu no estádio foi diferente. Poucas vezes na história dos mundiais uma equipe foi tão apoiada, e os africanos perceberam que poderiam sair do estádio com uma vitória pra marcar a história.

Aos poucos foram crescendo no jogo e encaixavam bons contra-ataques até que Kana-Biyik foi expulso. Com isso os argentinos ganharam espaço e parecia que o gol dos hermanos sairia a qualquer momento. Parecia...

Em uma bola parada, como que sem maiores pretensões, um lance que entraria definitivamente no hall das imagens inesquecíveis: Fraçoise Omam-Biyik cabeceia a bola depois de um bate-rebate e o goleiro Pumpido aceitou. Gol de Camarões. Mesmo com outro jogador expulso, Benjamim Massing, Camarões conseguiu segurar o resultado até o fim. Histeria no estádio, que chegou a tremer depois do apito final.



Ficha do jogo

ARGENTINA 0 X 1 CAMARÕES

Data: 08/06/1990 (Terça-feira)
Local: Giuseppe Meazza, Milão (Itália)
Árbitro: Vautrot (FRA)
Gol: Omam-Biyik, aos 22 minutos do segundo tempo;


Argentina:
Pumpido, Lorenzo, Ruggeri (Caniggia), Sensini (Calderon), Simon, Fabbri, Burruchaga, Basualdo, Sergio Batista, Maradona, Balbo
Técnico: Carlos Billardo

Camarões:
Nkono, Ebwelle, Kunde, Massing, Ndip, Tataw, Kana-Biyik, Mbouh, Mfede (Libiih), Omam-Biyik, Makanaky (Milla)
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Thiago,

    essa sua veia humoristica é senssacional, kkkkkk

    toda vez que vejo essw vídeo morro de rir, kkkkk

    SOMOS FLAMENGO
    somosflamengo33.blogspot.com

    BLOG DO CLEBER SOARES
    clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esse vídeo é demais!
    Arrepiei novamente no momento do gol e no momento do apito final, todo mundo comemorando.. muito foda!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...