domingo, 16 de setembro de 2012

Resenha Entrevista - Fabiana Beltrame

Fala galera! Mais uma entrevista aqui no Resenha Esportiva. Hoje um esporte inédito por aqui, e posso garantir que foram perguntas que usamos para tentar ao máximo aproximar o leitor do esporte pioneiro de muitos clubes do Rio de Janeiro, o remo.

Pra quem ainda não descobriu (apesar de estar no título do post) a nossa atleta de hoje é Fabiana Beltrame.


Além de ser a primeira atleta a ser entrevistada pelo Resenha Esportiva ainda nos mostra detalhes sobre o remo.


Fabiana nasceu em Floriaópolis e já disputou três Olimpíadas, e além disso conquistou o Campeonato Mundial de Remo na categoria skiff simples leve, em Bled, na Estônia, no ano passado.


Vamos ver o que Fabiana tem para nos ensinar! E pra quem ainda não curtiu a nossa
Fan Page tá esperando o que? Acesse www.facebook.com/ResenhaEsportiva

Agora é contigo Fabiana Beltrame do Brasil!!!!



Resenha Esportiva - Primeiramente muito obrigado pela oportunidade. Conte-nos um pouco sobre seu início de carreira. Onde começou e qual foi sua inspiração para praticar o remo.
Jonne Roriz/AE
Fabiana Beltrame - Comecei a remar aos 15 anos, em 1997, no Clube Náutico Francisco Martinelli, em Florianópolis. Comecei só de brincadeira, para praticar uma atividade física ao ar livre, porque sempre gostei e pratiquei vários esportes. Tive contato com o remo, através de uma colega da escola que fazia e também porque via as pessoas remando na beira mar e fiquei curiosa. Desde as primeiras aulas eu me apaixonei e estou até hoje.

RE - Muita gente não entende a diferença entre remo e canoagem, pode nos dar algumas dicas?
FB - Apesar de ser semelhante, porque ambos são na água, a movimentação é bem diferente. No remo, nós utilizamos todo o corpo, quase todos os músculos do corpo, por isso é um esporte dos mais completos; os remos ficam presos ao barco; e remamos de costa para o objetivo. Já na canoagem o atleta rema somente com os braços, o remo não é preso e os atletas remam de frente para o objetivo. Essas são apenas algumas diferenças. 

RE - Apesar do remo ser um esporte que iniciou vários clubes, principalmente no Rio, podemos citar Flamengo, Botafogo e Vasco por exemplo, ele não é um esporte muito popular. A que se deve isso? Falta muito incentivo financeiro para promover o esporte?
FB - Antigamente o remo era um esporte muito popular e as regatas lotavam. Existem fotos do Estádio de Remo da Lagoa completamente lotado, mas isso, antes da popularização do futebol, que se tornou o esporte número um do Brasil. Eu acho que isso não acontece só com o remo, mas com os esportes olímpicos de maneira geral. Mas é claro que um esporte sem resultados expressivos, não aparece na mídia. Para isso, falta organização e planejamento de médio e longo prazo. 

RE - Hoje você treina no Flamengo, a estrutura que os clubes brasileiros oferecem são as mesmas dos clubes de ponta pelo mundo afora?
FB - Hoje nós temos uma estrutura completa no clube, além do material necessário, temos uma equipe multidisciplinar que nos dá todo o suporte no treinamento.

RE - Você foi campeã mundial em 2011 em uma categoria que não é olímpica, que é o skiff leve individual. Em Londres você foi obrigada a competir em dupla, com a Luana Bartholo. Existe uma diferença muito grande das provas individuais e em dupla?
FB - É bem diferente, principalmente pra mim, que fiquei muito tempo remando sozinha. Um barco de duas pessoas exige muita sincronia e conjunto, que só se pega, remando muito tempo junto. 

RE - Como é a rotina de uma atleta olímpica do remo durante o ciclo olímpico? Quais as competições mais importantes que disputam e como é o índice de classificação?
Reuters
FB - Fazemos dois treinamentos diários, um pela manhã e outro a tarde, num total de 4 a 6 horas por dia, de segunda a sábado e as vezes domingo também. Fazemos treinamento na água, musculação e corridas. Durante o ciclo olímpico, competimos as Copas do Mundo, que são 3 por ano e Campeonatos Mundiais, que acontece todos os anos. Para classificar para os Jogos, tem três maneiras, no Campeonato Mundial no ano anterior aos Jogos, no Pré Olímpico Latino-americano, ou no Pré Olímpico Europeu, no ano das Olimpíadas. 

RE - Finalmente conseguimos sediar os jogos, e o Brasil tem muita esperança em vários esportes, e você é uma das esperanças brasileiras de medalha. Como você se vê daqui a 4 anos dentro do esporte? Quais seus planos para os próximos anos?
FB - Tenho um grande sonho de conquistar uma medalha olímpica e vou treinar muito pra isso, até 2016. 

RE - Pra finalizar deixe um recado pra galera do Resenha Esportiva que sonha em um dia seguir carreira no esporte como você fez.
FB - Quem quer ser atleta de alto rendimento, em primeiro lugar, tem que amar o que faz, e ter muita dedicação, determinação e trabalho duro.

É isso aí galera! Agradecemos muito à Fabiana por ter nos respondido, confesso que de todas as entrevistas que já mostramos aqui, a dela foi uma das mais legais, curti muito!

Desejamos muita sorte nesse novo ciclo olímpico e estaremos na torcida por essa tão sonhada medalha!

Valeu!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Boa sorte para a Fabiane Beltrame neste ciclo olimpico que se inicia e que ela chegue com força total em 2016. Parabéns pela entrevista Knop

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...