terça-feira, 25 de setembro de 2012

Profissionalizando

Fala galera! Já falei várias vezes sobre a situação dos árbitros no Brasil, acho que devem se tornar profissionais da arbitragem, viver do apito, entrar em treinamento as 8 da manhã e sair as 18, igual um jogador qualquer faz.

Acompanhando Futebol Americano nesses últimos dias consegui achar um ótimo exemplo para demonstrar a diferença entre um árbitro profissional e outro amador, que só apita pra pegar um bico.

Mais uma vez a abitragem da NFL está em greve, negociações que não acabam, e por esse motivo tiveram que recorrer à juízes de ligas inferiores e amadoras, é provável que essa situação só termine lá pela 5ª ou 6ª rodada da Liga, e até lá muitos times poderão ser prejudicados por erros.


Foto: Divulgação (FDP)
Mas porque os amadores erram mais que os profissionais? Dois motivos são claros: a velocidade do jogo é outra, estamos falando de super atletas, máquinas físicas, que correm as 100 jardas e não se cansam, o outro motivo é que a cabeça do juiz nem sempre está focada na partida, um juiz amador tem outra profissão, precisa pensar em outras soluções para a carreira, e aí amigo...

No futebol não é diferente!

Quando um árbitro apita uma vez por semana ele passa o resto dos dias trabalhando em outras coisas, com isso ele não se prepara adequadamente, perde um pouco o tempo de bola, e até mesmo, se não tiver uma preparação física adequada, perde fôlego muito rápido. Um caso bom pra explicar a parte física é do excelente Leonardo Gaciba. Um dos melhores árbitros que já vi dentro do país, mas que não conseguia o escudo da Fifa pois sempre era reprovado nos exames físicos.

Já passou da hora de profissionalizar. Enquanto isso não acontece, é lamentável que exista uma cobrança tão exagerada em cima dos caras. O primeiro passo foi dado, o Ministério do Trabalho já aceita a profissão, resta agora à CBF ou a algum órgão responsável transformar os caras em verdadeiros homens do apito.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. É aí que tá o pepino: a CBF ou algum órgão regularizar a coisa. Enquanto isso, jogamos nas costas dos árbitros incompetências alheias, de times fraquíssimos que assolam nosso futebol.

    Erram? Claro que sim, ainda mais não sendo profissionais e tendo dedicação exclusiva à função.

    ResponderExcluir
  2. Cara esse lance de arbitragem no Brasil já está ficando um saco... Todo fds tem um erro pra um time ou outro e prejudica o campeonato e dando titulo pra times A e B....

    Foi como o Juninho Pernambucano ponderou e achei mto interessante...

    "- Esse é o Campeonato Brasileiro. Enquanto os árbitros entenderem e pensarem que são mais importantes que o futebol em si, vai continuar assim. Não é que os árbitros são ruins, é que é um momento de cinema para eles. É a hora de aparecer, um momento de mostrar autoridade. Nenhum é profissional na arbitragem, todos têm emprego, então na segunda-feira é o momento da alegria, talvez seja isso. Até a bola é mais importante que o árbitro, porque sem a bola a gente não joga, sem o árbitro, sim - criticou, em entrevista à Rádio Globo."

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...