domingo, 19 de agosto de 2012

60 anos do nosso primeiro tricampeão

Fala galera! Nessa semana o segundo brasileiro a vencer o mundial de Fórmula 1 completou 60 anos de idade. Nelson Piquet Souto Maior, o primeiro brasileiro a se sagrar tricampeão nas pistas da F1!

Eu confesso que não sabia dessa data, fiquei sabendo através de um dos grandes fãs, meu amigo Guilherme. Não sou um dos maiores fãs do Piquet, até porque quando comecei a ver corridas ele já estava meio em final de carreira, mas me lembro bem de ter comemorado seu título em 87, ainda muito pequeno, o seu tri, o nosso primeiro tri.

Foto: Getty Images
Piquet começou a carreira correndo com o nome "Piket", uma forma de esconder de seus pais sua profissão, já que para eles Nelson deveria ser tenista (duvido muito que com seu temperamento iria longe no esporte).

Em 78 bateu o recorde de Jackie Stewart de mais vitórias em uma única temporada na F3 Inglesa e se sagrou campeão. Pouco depois faria sua estréia na F1 com um carro alugado da Ensign. E em menos de um ano já era o terceiro piloto da Brabham de Bernie Ecclestone.

Para a temporada 79 assumiu o posto de segundo piloto, tendo Niki Lauda como companheiro. Em 80 levaria sua primeira vitória, no GP do Oeste dos Estados Unidos, em Long Beach.

Não demorou muito e seu nome ficaria gravado de vez na história, com o título de 81, apenas 1 ponto à frente do argentino Carlos Reutemman. O bi também não demoraria a aparecer, em 83, numa temporada onde venceu 2 das últimas 3 provas e ultrapassou o francês Alain Prost na classificação, em um campeonato que já davam como perdido.

Depois de 2 anos de queda da Brabham surgiu o convite da Williams, equipada com os motores turbo e com o apoio da Honda. Um terceiro lugar em 86 e o título incontestável de 87, onde subiu ao pódio em 10 das 16 corridas e despachou o leão Nigel Mansell, seu companheiro de equipe.

Depois desse título Piquet nunca mais foi o mesmo, parecia cansado da rotina, que ele nunca foi muito de cumprir, e em 88 assumiu o carro de Senna na decadente Lotus, até encerrar sua carreira na F1 em já na Benetton.

Capacete usado por Nelsinho na Nascar
Ainda tentou se aventurar nas 500 milhas de Indianápolis em 92, mas um grave acidente provocado por um furo lento no pneu lhe fez encerrar de vez a carreira em provas de alto rendimento.

Piquet é um cara que por não ter papas na língua sofre até um certo preconceito por parte da torcida brasileira, fanática por Ayrton Senna, um de seus maiores rivais, mas é inegável que está entre os grandes da história do automobilismo.

Não é um sujeito bem quisto no meio, mas nunca deixou de dizer que o objetivo dele não era fazer amigos e sim vencer corridas, talvez por isso sempre esteve no limite entre o bem e o mal.

Para comemorar o aniversário de seu pai, Nelsinho Piquet fez uma homenagem nesse fim de semana em uma das provas da Truck Series da Nascar, correndo com um capacete com o mesmo desenho do pai, inclusive relembrando o "Piket" do início de carreira, e mais do que a homenagem no capacete, ele venceu a corrida!

Obrigado Nelson Piquet do Brasil!!!!

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 comentários:

  1. Mestre Nelsão o Campeão Bom vivant da Formula 1.

    Igual a ele nao existirá outro.

    Excelente homenagem Luiz Paulo Knop, depois de eu tanto lhe pedir.

    Vamos ver se começa a rolar uma cobertura das corridas do Nelsinho.

    Muito obrigado.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  2. Melhor piloto que o Brasil já teve, sem dúvidas pra mim.

    ResponderExcluir
  3. Nelsão foi um baita piloto, é merecedor de todas as homenagens. Já o seu filho é um bundão.


    abs

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...