quarta-feira, 11 de julho de 2012

O fim da Era Mari

Fala galera! Ontem o treinador José Roberto Guimarães começou a fazer cortes na equipe que disputará os Jogos Olímpicos de Londres, e um dos nomes dispensados foi da ponteira, que atuava como oposta nos últimos torneios, Mari.

A paulista de 28 anos que vai defender o Fenerbahçe da Turquia na próxima temporada faz parte da Seleção Brasileira desde 2004, quando ainda tinha 20 anos, e de lá pra cá não saiu mais. Com muitos altos e baixos sua carreira sempre foi contestada.

Nas Olimpíadas de Atenas um jogo que marcou a trajetória de Mari. Com uma atuação de gala, fazendo 37 pontos na partida, a ponteira (que havia tirado Leila dos jogos) infernizava as russas na semi-final. Porém, com o Brasil vencendo por 2x1 e 24x19 no 4º set, uma sucessão de ataques pra fora da paulista levou o jogo para o tie-break, que posteriormente foi fechado pelas russas em mais um ataque pra fora de Mari.

O Brasil abandonava sua maior chance de conquistar um ouro em toda a história do vôlei feminino, um jogo ganho... faltava 1 ponto apenas, e desperdiçamos.

Mari manda os críticos se calarem e morde a medalha
Mas José Roberto Guimarães confiava em Mari, atleta nova e com muito potencial, ainda tinha muito caldo pra dar pela seleção, e apostou na parceria dela com Paula Pequeno e Sheila, em uma renovação da seleção visando as Olimpíadas de Pequim em 2008.

Nesse meio tempo ganhamos o Grand Prix em 2006 e 2008 e entramos com tudo pra disputa na China. Mari novamente seria um dos nomes dos jogos, ao lado de Sheila, Fabiana, Fofão e Paula Pequeno, o Brasil conquistava o inédito ouro olímpico e o estigma de amarelão saia de vez das costas da brasileira.

Mas não duraria muito o reinado de Mari... várias lesões a afastaram das quadras e quando começava a retomar o bom ritmo veio a convocação pras Olimpíadas. Em uma pré-lista constava o nome de Mari, mas ao mesmo tempo apareciam nomes como Paula Pequeno, Fernanda Garay, Natália e Jaqueline, que vivem fase melhor que Mari.

Zé Roberto ainda tentou uma mudança de posição, jogando a ponteira pra oposta, na expectativa de poder contar com sua presença nos jogos, mas foi em vão... não se adaptou como deveria e por questões técnicas ela foi cortada faltando menos de um mês para Londres.

Com isso, aos 28 (quase 29) anos, Mari tem pela frente um novo ciclo olímpico para tentar voltar e encerrar por cima sua trajetória, já que em quase 10 anos de seleção, mesmo com todos os títulos, sua carreira sempre foi questionada.

Resta saber se para o futuro de Mari é melhor encerrar no esquecimento ou correr o risco de um novo fracasso... e isso só ela pode definir.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

7 comentários:

  1. Mari,sempre foi uma jogadora de compor elenco. O pessoal pensou que ela pudesse ser líder, mas não é o perfil dela. Ela será sempre de compor elenco e não liderar a equipe. E os erros na Olimpiadas vão marcar a carreira dela. Mas é uma excelente jogadora.

    ResponderExcluir
  2. Eu prefiro lembrar dela pelo ouro nas olimpiadas.

    Pessoal tem mania de recordar das pessoas sempre pelas coisas ruim.

    Brasileiro é foda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo nessa, mais ainda quando fala do brasileiro.

      É aquele lance, se você acerta 99% das coisas, o 1% que errou pesa demais.

      Excluir
  3. A verdade é que no esporte os erros sempre marcam mais que as conquistas...

    Querendo ou não a Mari é uma boa jogadora sim, pena que o erro vai ficar marcado sempre na sua história do esporte...

    ResponderExcluir
  4. O Zé Roberto já levou ouro no masculino e no feminino, ele sabe muito bem o que está fazendo. Só espero que em caso de fracasso não apareça ninguém falando "se tivesse levado a Mari" ... !!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Depende do fracasso.

    O Dunga foi o judas da Copa de 90, mas a presença dele e ainda tendo a sorte do Raí nao fazer uma boa copa e a braçadeira de capitão sobrou pra ele e ficou marcado por levantar a taça, aí ninguem mais lembra dele como "vilão" em 90.

    Nesse caso da Mari nos erros sucessivos no jogo poderiam dividir a culpa com a levantadora tbm já q é ela q decide quam vai vai atacar ou não, erro dela tbm em nao perceber o bom momento da Mari no jogo e parar de levantar bolas pra ela.

    Amadureceu, treinou mais e depois ganhou o ouro...prefiro me lembrar desse momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Dunga é um excelente exemplo disso tudo, inclusive depois que virou treinador voltou a ser esculachado... é que nós temos memória curta...

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...