domingo, 13 de maio de 2012

Penalti perdido

Fala galera! Esse ano um dos maiores clubes do Brasil e do mundo completa 100 anos de história. O Santos, time fundado em 1912, tricampeão da Libertadores e bicampeão Mundial, além de ter no currículo 8 títulos brasileiros, é um time com muita história pra contar, muitas glórias, mas hoje separei pra vocês uma que faz parte dos anais da crônica esportiva.

Ano de 1973, o Brasil era o atual campeão do mundo e Pelé se preparava para o final de sua carreira. Todos davam como certo que a Copa de 74 marcaria o fim da Era Pelé. Porém, antes disso, ele tinha que dar mais uma alegria ao seus torcedores e planejou que o Paulistão de 73 seria o marco, afinal, desde 69 o Santos não levantava nenhum troféu, e esse jejum era raro nessa era.

O elenco do Santos ainda era recheado de craques na época, Cejas fechava o gol, Carlos Alberto comandava a zaga, Clodoaldo segurava a onda no meio e Pelé tabelava com Edu. Tudo parecia perfeito. Os adversários foram caíndo pelo caminho, até que a grande final aconteceu no Morumbi, contra a Portuguesa, que tinha em seu elenco as feras Basílio e Eneas e no banco o treinador Oto Glória.

116 mil pessoas (que saudade desses públicos) lotaram o estádio para ver um jogo que para o resultado final até que foi bom, 0x0 e fim de papo, vamos para os penaltis.

O Santos começa batendo e Zecão pegou o penalti cobrado por Zé Carlos; logo em seguida a Lusa também erra com Isidoro que bateu nas mãos de Cejas. A segunda série iniciou com Carlos Alberto marcando para o time da Vila Belmiro e Calegari perdendo para a Portuguesa. Na terceira cobrança Edu fez também. No terceiro penalti da equipe do Canindé a trave foi a vilã, foi ela que tirou o gol de Wilsinho.

Três pênaltis cobrados por cada um, 2x0 pro Santos. Armando Marques (o juiz) pega a bola e encerra a peleja, Santos campeão pela 13ª vez e Pelé artilheiro do campeonato com 11 gols.

Tudo parecia perfeito, os jogadores do Santos comemoravam e os jogadores da Portuguesa deceram para o vestiário tristonhos, mas ninguém contava com um pequeno detalhe...

Pela conta de Armando Marques o jogo tinha se encerrado, porém, ao preencher a súmula, o árbitro percebeu que o jogo ainda poderia terminar empatado, pois estava 2x0 e cada equipe ainda tinha 2 cobranças.

Mais que depressa correu ao vestiário lusitano, só que de bobos os "portugueses" não tinham nada, quando viram o equívoco deram um jeito de pular fora do estádio o mais rápido que puderam, e com isso, o jogo não pode ter um final, e a Federação Paulista foi obrigada a dividir o título do Paulista de 1973.

Com isso Pelé garantia seu último título pelo Santos, e a Lusa ficava com o 3º título paulista de sua história...


Santos 0 x 0 Portuguesa (2x0 nos pênaltis)
Data: 26/08/1973
Competição: Campeonato Paulista - Final
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 116.156 pagantes
Renda: Cr$ 1.502.555,00
Árbitro: Armando Marques

SANTOS
Cejas; Zé Carlos, Carlos Alberto, Vicente e Turcão; Clodoaldo e Léo; Jair (Brecha); Eusébio, Pelé e Edu
Técnico: Pepe

PORTUGUESA
Zecão; Cardoso, Pescuma, Calegari e Isidoro; Badeco e Basílio; Xaxá; Enéas (Tatá), Cabinho e Wilsinho.
Técnico: Oto Glória
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Bonita resenha. O Santos escreveu as mais belas páginas do futebol brasileiro. E assim continuará. Abraço.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...