quarta-feira, 16 de maio de 2012

Já deu ou tá dando?

Fala galera! Como o Carlos falou ontem chegamos ao fim dos estaduais, confesso que sempre fui a favor da competição, de repente com algumas mudanças nos regulamentos, diminuíndo o tempo deles no calendário, mas depois de 2012 eu já começo a rever minha posição.

Essa cena pode não se repetir mais
Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
Os campeonatos que antes serviam para dar visibilidade aos times pequenos e que ajudavam os grandes a preparar o time para o Brasileirão não conseguem mais executar essas duas funções.

Os pequenos estão cada vez menores, já que os campeonatos estão sendo inflados de forma a garantir o voto nas eleições das federações estaduais, o Rio de Janeiro é um bom exemplo. Os grandes não dão mais o devido valor à competição, cada vez mais escutamos que time tal está poupando os jogadores, e quando os principais jogadores da equipe precisam jogar lá no interior do estado é uma novela tremenda...

Acho que tá na hora de rever minha posição, como falei, e ficam algumas sugestões (claro que sei que ninguém vai ler, mas não custa falar):

É hora de reorganizar
o calendário
1 - Diminuir a quantidade de clubes, acredito que 12 times nos campeonatos paulista e carioca estão de bom tamanho, e 10 nos demais, acho que deveria ser o limite.

2 - Unificar a fórmula de disputa, fazendo com que todos os campeonatos comecem e terminem na mesma data, impedindo assim que um Fluminense e Vasco tenham que adiar seus jogos no Carioca por causa da Libertadores, em virtude de uma tabela mal feita.

3 - Limite máximo de 2 meses para a competição. Isso dá um total de 16 datas aproxidamente, um campeonato com 12 equipes com turno único e os dois melhores fazendo a final em turno e returno ou em jogo único em um campo neutro não tomaria mais do que 13 datas do calendário. Hoje temos um Paulistão com 23 datas! Cairia pela metade praticamente...

4 - Caso nenhuma dessas sugestões sejam possíveis, acho que o melhor é retirar da competição todos os times das Séries A, B e C, classificá-los para a Copa do Brasil automaticamente, e quando maior a divisão, mais na frente o time entraria, e os estaduais serviriam como classificatório para a Série D e para o restante das vagas da Copa do Brasil do ano seguinte. Os grandes estariam fora da jogada! Peguem o avião é partam para o exterior para ganhar dinheiro com amistosos e competições caça-níqueis.

Ficam as sugestões, resta saber se algum dia as coisas vão mudar mesmo...

Fui
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

21 comentários:

  1. Pronto, foi o que eu sempre preguei com você, o fim dos estaduais para os times grandes.

    Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil sendo disputada de fevereiro a dezembro.

    Mas isso nunca vai acontecer a cultura aqui sempre sera a da bagunça e do favorecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Gui, mudei de opinião depois do vexame que foi 2012... só de ver aquele regulamento ridículo de Santa Catarina já fiquei meio assustado... depois veio o péssimo público no Rio... a final de São Paulo jogada no Morumbi... é tudo feito pra não dar ninguém mesmo

      Excluir
    2. Não sou radical á ponto de dizer que tem que acabar com os estaduais. Acho, como foi dito, que tem apenas que diminuir o número de participantes. Hoje, no Carioca, principalmente, eu acho que o modele de disputa atual, com apenas 10 clubes seria excelente. Não pesaria tanto para os torcedores, e de repente, os clubes poderia se dedicar um pouco mais á pré-temporada.

      Á partir do ano que vem, a Copa do Brasil também vai durar o ano inteiro, com os clubes que disputam a Libertadores, participando também.

      Excluir
  2. Sou da mesma opinião. Acho que os Estaduais já deram o que tinha que dar. Infelizmente, também acho que isso não vai mudar tão cedo, ainda mais que é uma boa fonte de renda pras federações estaduais. Mas essa zona que fica o calendário do futebol brasileiro (que obriga os times a pouparem jogadores nesta ou naquela competição) é inaceitável.

    Concordo que a "solução ótima" seria campeonatos estaduais mais curtos e com menos times.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lance de poupar o jogador me intriga muito... porque não poupam os caras nos treinos pra chegarem inteiro nos jogos? Os treinadores preferem colocar o jogador pra treinar em 2 períodos, mata o cara de correr, e no jogo fica sem eles...

      Excluir
    2. Luiz Paulo, mas se os caras não treinarem, não irão se condicionar físicamente, mesmo que o treino seja regenerativo e jogadas também não serão ensaidas. Se não houver, pelo menos um treino tático, na hora do jogo sai tudo errado.

      Excluir
    3. Não to falando de não treinar, só acho que durante a temporada o jogo é mais essencial que o treino... a prioridade deveria ser o jogo, e no Brasil é o treino, por isso se poupa jogador a todo momento.

      Sobre tática, poucos treinadores sabem o que é isso, é raro ver jogada ensaiada...

      Excluir
    4. Que poucos sabem sobre tática, eu concordo!

      Excluir
  3. Além de tudo que foi dito, também percebo que menos datas é importante, do ponto de vista financeiro, tanto para os clubes, quanto para os torcedores. Os clubes alegam que pagam pra jogar, devido ao baixo público, enquanto os torcedores deixam de ir aos estádios, principalmente nos jogos contra os pequenos, por considerarem os ingressos caros, e preferirem ir aos jogos mais importantes de seus clubes, o que é natural

    ResponderExcluir
  4. Sem contar campeonato estadual nao leva a lugar nenhum, nao da direito a participar de competição alguma.

    Acho q so mesmo para os pequenos q buscam vaga na quarta divisão.

    É um dos motivos pelo qual vejo que os clubes grandes deveriam cair na real e ver os prejuizos desse tipo de competição.

    Jogador pode sair lesionado disputando algo q nao tem maiores pretençoes futuras, nao vai levar a lugar algum.

    Fora a logistica de viagens pra jogar no interior. O estado do Rio é pequeno, mas e em São Paulo?? Clube vai jogar com a Matonense no fim de semana, jogo e viagens cansativos e jogador lesionado q fica de fora da libertadores ou copa do Brasil na quarta.

    É so prejuizo.

    ResponderExcluir
  5. Paulo,
    como você viu lá no blog, temos ideias bem parecidas.

    Só queria ressaltar que as mudanças são essenciais, mas que infelizmente só serão possíveis em 2015, até lá já esta tudo acertado com as federações, clubes e televisão. A não ser que aconteça algo inusitado, o que não acredito muito.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Concordo com reduzir a duração, reduzir o número de times e tudo mais ... só não acho que tenham que acabar ou tirar os clubes grandes. O grande problema é a TV, quanto mais jogos melhor ... melhor pra eles da TV !!!

    ResponderExcluir
  7. Uai, continuaria a ter o mesmo numero de jogos, porem com competiçoes esticadas durante o ano todo.

    Quarta: Libertadores, Copa do Brasil, Sulamericana e as vezes Brasileiro.

    Domingo: Brasileiro

    Esticando o brasileiro pro ano inteiro e tendo mais jogos nos finais de semana do q no meio vc cobre certinho a vaga no calendario dos estaduais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se seria interessante. Imagina se um time é eliminado da Copa do Brasil em março e a Sulamericana só começa em agosto, isso se jogar a Sulamericana. Esse clube também perderia financeiramente. O Corinthians mostrou esse prejuízo no ano passado, quando foi eliminado precocemente da Libertadores e sobrou só o Paulista, até maio.

      Os clubes também precisam jogar. O que, na minha opinião, é questionado, são as qualidades dos jogos, principalmente contra pequenos e ás vezes em gramados ruins!

      Excluir
    2. Ah, me esqueci de dizer, que a redução nos estaduais também proporcionariam mais tempo para a pré-temporada, o que não tira a importancia dos estaduais, que servem, e continuariam servindo, de laboratório para as principais competições. Quanto á excursões no exterior, a única saída que eu vejo é parar o campeonato no meio do ano e os clubes irem, o que eu acho um absurdo, mas para a saúde financeira dos clubes pode ser interessante, até mesmo em termos de marketing internacional.

      Excluir
    3. Esse lance de perda financeira vai acabar quando o time começar a vencer... o Corínthians ano perdeu? Foi incompentente... o Flamengo esse ano perdeu? Foi também!

      E isso, independente do calendário, vai acontecer sempre.

      Sobre a pré-temporada e as excursões, acredito que essa reorganização pode proporcionar isso. Adequação do calendário ao Europeu (sempre fui contra, mas hoje vejo necessidade) e pré-temporadas maiores (e de verdade, porque hoje é só balela o que acontece).

      Excluir
    4. Mas nem sempre é possível vencer. O Flamengo, tendo fica um mês parado, provavelmente está sentido nos cofres já combalidos - em tempo, quem não tem cofres combalidos, no Brasi?.

      Adequar nosso calendário ao Europeu parece ser uma saída, mas não vamos esquecer que culturalmente comemoramos, fazemos festa, em dezembro e jogar no período inteiro de dezembro e janeiro vai ser complicado o sol rachando na cara. O nosso clima é diferente do deles e isso também tem que ser levado em conta. Agora, vocês acham que adaptando o calendário os estaduais vão acabar? Eu não apostaria nisso.

      Excluir
  8. O saudosismo da grande maioria nao deixa acabar com os estaduais essa é a grande verdade.

    Enquanto essa grande maioria achar que é bonito assistir jogo em pé na arquibancada, que tem de haver aquelas filas interminaveis pra comprar ingresso, quando o mesmo pode ser garantido no inicio da competição ate por um preço mais baixo, de achar errado jogar no chão um estadio velho e ultrapassado tem que continuar sendo o "maior do mundo" pq faz bem pro ego dizer isso em detrimento de ter um estadio novo, confortavel e seguro e com outras atraçoes ao torcedor alem do jogo q acontecerá.

    Enfim, o saudosismo é algo para ser admirado e nao vivenciado. A tecnologia evolui assim como varias coisas na vida inclusive o ser humano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi onde você quis chegar? Ninguém questionou sobre assistir jogo em pé na arquibancada, filas intermináveis, não vender os ingressos antes do início da temporada.
      Agora, você falou uma coisa que eu concordo, o lance é tentar, ao máximo, incentivar o torcedor á comprar online, via cartao de crédito. Quanto aos estádios, muitos me chamam de louco, sem cultura, sem amor á história. Por mim, ou conserva o que tá velho, mantendo a casca e modernizando por dentro, ou joga no chão e faz outro novo. Vou além, acho que Rio de Janeiro e São Paulo, deveriam ter, pelo menos, um estádio com capacidade em torno de 100, 120 mil pessoas. Administrar isso é foda, mas em jogos descisivos enche!

      Excluir
  9. As finais sempre sao televisionadas, portanto se o camarada nao conseguir ingresso pode muito muito bem assir em casa, em bar ou restaurante.

    Passou de 40 mil ja é gente pra sair pelo ladrão, pra se ter ideia é mais ou menos a população de Alem Paraíba.

    Agora 100 mil cabeças dentro de um estadio, 50 mil torcedores de equipes quase sempre rivais e com essas torcidas cada vez mais armadas, organizadas e violentas.

    Nao sou a favor de estadio entupido de gente, passou de 40 mil ja nao faz diferença pra nada referente a disputa no gramado, mas para a segurança faz e muito.

    São menos pessoas no transito, sao menos pessoas a usarem transporte coletivo, sao menos pessoas pra gerar tumulto nas ruas.

    Essa cultura de estadio entupido de gente, ate o gargalo é q realmente ja deu, ate mais q os campenatos estaduais.

    ResponderExcluir
  10. Os Estaduais são importantes e acabar com eles naum seria legal, mas concordo que deva ser diminuido o tempo de disputa, ah naum que voltemos pra akele velho tema de colocar nosso calendario na forma europeia, colocando a Libertadores e Sul-Americana no primeiro semestre e Copa do Brasil e Brasileirão no segundo... Mas calendário eh um problema serio no Brasil!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...