quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O último dos moicanos

Túlio Maravilha é o que podemos chamar de último representante do folclore vivo do futebol nacional. Aos 42 anos de idade, tentando atingir a marca do milésimo gol na base da insistência e sempre sob as luzes dos holofotes, o maior falastrão em atividade ostenta a marca de um dos maiores artilheiros em atividade.

Por isso, eu não teria nome melhor para escrever novamente na série Grandes Jogadores do Folclore Popular. Afinal de contas, que profissional do esporte pode se orgulhar de praticar sua atividade dentro de quatro décadas diferentes? Isso mesmo! São nada menos que quatro décadas diferentes que tiveram a marca do artilheiro!

Sua carreira profissional começou em 1989 pelo Goiás, aos 19 anos, onde disputou 223 partidas e marcou 187 gols até o ano de 1992, quando se transferiu para o Sion, da Suíça. Depois de uma temporada nos alpes, voltou ao Brasil para viver o seu melhor período, que foi defendendo a camisa do Botafogo, onde fez história ao marcar o gol do título Brasileiro de 1995. Ao ser questionado sobre o fato de estar impedido no lance, Túlio rebate: "Eu estava impedido sim, mas o choro é livre e o vencedor é que comemora. Hoje a taça está em General Severiano."

Obviamente não vou falar sobre todos os clubes da carreira desse cigano futebolístico que possui em seu currículo mais de 40 transferências das mais diversas espécies. Mas eu não poderia deixar de falar sobre sua passagem pela Seleção Brasileira. Defendeu a camisa amarela de 1990 a 1995 (com grandes espaços entre suas convocações) e marcou 13 gols em 15 partidas. A grande curiosidade é que todos os gols foram marcados no ano 1995, justamente seu último. O mais marcante pode ser revisto no vídeo abaixo, contra a Argentina, pela Copa América. La mano de Túlio, como ficou conhecido o lance até hoje é comentado com orgulho pelo nosso protagonista.





Chegou a ingressar na carreira política, mas acabou abandonando para dar seguimento à carreira de atleta. Claro que o nível do futebol praticado não é mais o mesmo, mas Túlio Maravilha é esperto o suficiente para saber que não teria condições de jogar no alto nível da elite do futebol nacional e se enveredou por muitos anos nas divisões inferiores e até mesmo pelo interior do país, onde também fez história com marcas atingidas. O título de "maior artilheiro de todas as divisões nacionais" é um exemplo de como ele sabe trazer para si a mídia.

De qualquer forma, não é nem um pouco injusto dizer que ele é um exemplar raro e que representa como ninguém o folclore esportivo, com raízes em tempos de escassez do futebol brasileiro no que diz respeito a títulos mundiais, com campeonatos com qualidades limitadas e estruturas bem aquém das atuais. Tempos bem diferentes dos de hoje.

Nenhuma Enciclopédia do futebol seria completa sem Túlio Maravilha! Até por que quem hoje pode ostentar o título de "último jogador em atividade que entrou em campo de mullets"?
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Cara, o Túlio não é só um dos últimos fanfarrões do futebol, pelo que escuto falar hoje em dia, é um dos últimos matadores também.

    Com relação aos mil gols, a conta é dele, temos que respeitar, mas que ele tá longe dos mil, isso ele tá hehehe

    E lendo essa coluna sua eu tenho certeza que você tem razão quando diz que eu preciso mudar o foco dos meus posts. Muito mais descontraído!!!

    ResponderExcluir
  2. Thiago,
    Tulio é mais uma personagem do folclore do futebol.... e convenhamos, ele se esforça bastante...rsrsrsrs.
    Mas é um cara que merece o respeito.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...