quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Superclássico

Final do Superclássico, o Brasil acaba de conquistar o inédito título (1ª edição da competição com esse nome, né?) e entra com a hegemonia na galeria dos campeões do torneio. Bom, pelo menos esse foi o peixe que foi vendido pela Globo no final do jogo, como se enfim a seleção de Mano Menezes encontrasse o caminho de glória rumo ao hexacampeonato em 2014.

Em primeiro lugar, vamos analisar o motivo dessa taça em disputa. Para quem não sabe, o Superclássico das Américas tem como ideia central a reedição da extinta Copa Roca, que teve sua última disputa em 1976. Disputada desde 1914, foi instituída pelo então presidente argentino Julio Roca.


Mas onde quero chegar? Simples. Com a Conmebol precisando de exposição mundial, aliada ao fato de Brasil e Argentina necessitarem desesperadamente de bons resultados depois de uma pífia Copa América, nada melhor do que explorar a rivalidade dos dois países em uma nova disputa que remete às antigas tradições de duas das maiores seleções mundiais.


Tudo bem, mas onde entra o Brasil nessa história? Calma, vou chegar lá. Primeiro vamos colocar alguns pontos:
  1. A seleção brasileira há muito tempo não faz uma boa partida, e não convence há mais ou menos desde a Era Dunga;
  2. Mano Menezes começa a balançar no cargo, já que vem sendo alvo de críticas por todos os lados;
  3. Ricardo Teixeira vem sendo alvo de inúmeras denúncias de corrupção à frente da CBF e também denúncias relacionadas aos valores referentes à Copa do Mundo.
Eu poderia ficar aqui citando mais alguns motivos, mas acho que isso é suficiente para você leitor concluir que era necessário algum resultado para que o povo se esquecesse do futebol ruim que vinha sendo apresentado (1), para que o treinador da seleção passasse a ser novamente respeitado como tal (2), e principalmente para que a alegria dos gramados ofuscasse qualquer tentativa de averiguação sobre a relação entre recursos públicos e a Copa do Mundo.

E o cenário foi amplamente propício para nós brasileiros, porque grandes nomes do nosso time atuam no futebol nacional, que é amplamente superior ao disputado na liga vizinha. Para se ter uma ideia, apenas 1 (isso mesmo, UM) jogador argentino que disputou a segunda partida do Superclássico e que atua no futebol local tem reais chances de ser convocado para as Eliminatórias.

Enfim, será que você realmente acredita que o Brasil está tão bem assim? Mesmo com o melhor do futebol argentino de fora, vale comemorar isso tudo? Não haveria interesses escusos nesse meio? Isso pra mim soa de uma só forma: MASSIFICAÇÃO!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Concordo com 99% das coisas que escreveu, principalmente com a questão do fraco time Argentino, veja o que postei no Twitter ontem ao final da partida:

    @LP_Knop Luiz Paulo Knop
    Galvão: uma grande vitória em cima de um grande time! ... Será que ele vê a mesma Argentina que eu?!

    Mas discordo quando você diz que a competição teoricamente não vale nada, eu acho válido esse tipo de jogo por 3 motivos:

    1 - É uma oportunidade de vermos de perto nossa seleção, já que a Fifa exige que não sei quantos por cento dos jogos deve ser feito por lá (Europa) no ano, pelo fato de distancia percorrida pelos jogadores convocados.

    2 - Não deixa de ser um Brasil x Argentina, muitos jogadores se destacaram e ganharão outra chance, casos de Cortes (será que achamos nosso lateral pra Copa?), Danilo e Jefferson.

    3 - O jogo ocorreu longe do olho do furacão (Sul/Sudeste), isso mostrou o que é uma torcida de verdade, que vai pra campo incentivar o time, por aqui só vaiam...

    Mas o melhor do post foi quando você fala que o time não joga bem desde Dunga, sinal de que na Era Dunga tava bom e a gente reclamava né?

    ResponderExcluir
  2. @Luiz Paulo Knop:
    Vou discordar de você só no ponto da importância do fato de ser contra a Argentina. Sem os jogadores da seleção real, o que entrou em campo foi só a camisa, o nível de dificuldade foi irreal, só ver os lances da partida. Parecia treino de ataque contra defesa.

    Mas vou concordar que jogo fora do Sul/Sudeste tem um clima bem melhor. Só não sabia dessa cota de jogos que devem ser na Europa. Poderiam aproveitar isso para disputar partidas contra grandes equipes de lá...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...