sábado, 17 de setembro de 2011

Excesso

Fala galera! Agora que passou o susto vamos falar sobre um assunto que foi manchete dos jornais por um bom tempo nesse último mês: Ricardo Gomes.

Todo mundo que acompanha deve saber que o treinador vascaíno se sentiu mal durante o jogo contra o Flamengo e do banco de reservas foi direto para a mesa de cirurgia. Um AVC hemorrágico (alguns falaram em AVE, não sei ao certo a nomenclatura correta do problema) o deixou entre a vida e a morte e graças a uma bem sucedida cirurgia e também um atendimento rápido e eficiente, o pior não aconteceu.

Mas não estamos aqui pra falar do Ricardo Gomes e nem do seu problema, que graças a Deus está evoluíndo muito bem na recuperação e esperamos que em breve possa estar novamente na beira do gramado ou pelo menos no convívio de seus parentes e amigos. O que quero levantar hoje é com relação à pressão pela qual passam jogadores, treinadores e cartolas (em menor escala) dos clubes.

Para nós, simples mortais, pode parecer que os caras ganham rios de dinheiro e não precisam se preocupar tanto, mas eu tento me colocar na situação deles (sem a conta bancária, é claro). Imagina você entrar em campo e ser vaiado o jogo inteiro, agora imagina você sentado na cadeira de sua empresa e os seus clientes na porta da empresa te esperando, vaiando, xingando, porque o produto que você colocou pra vender não agradou.

Mas não é tão simples como eu penso né galera? Esporte, futebol, lida com paixão, o comércio é diferente, você gosta de um produto e se não agradou compra do outro. No futebol é complicado, você não muda de time como muda de roupa, você escolhe um quando é novo e só para de torcer pra ele quando está enterrado, as vezes nem assim...

Mas de qualquer forma, acho que o nível exigido está extremamente elevado, não pensamos no ser humano que está lá, no treinador que vai pra casa e fica pensando como se livrar da situação ruim, porque o resultado tem que ser "pra ontem", o jogador que está começando a carreira e já tem que ser o melhor do planeta. Esquecemos que podemos estar acabando com a carreira de um cidadão, que provavelmente não teve um estudo como o nosso, pois investimos em outra área, e provavelmente não terá um futuro legal se parar de jogar.

É isso, hoje é um post só pra reflexão.

Aguardo os comentários.

Fui!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

5 comentários:

  1. Luiz, essa discussão vai longe. Lembro de uma entrevista do Cuca quando ele estava no Santos e não conseguia vencer os jogos dizendo que nem dormia à noite, que ficava escutando um gato miar a noite toda.

    Mas eu acho que todo mundo sofre com cobrança, mesmo no comércio ou em um emprego. Não tem uma multidão cobrando, mas a pessoa pode sofrer com a cobrança do superior ou do patrão mesmo. O sofrimento talvez seja até o mesmo, no caso a pessoa tem que saber lhe dar com situação.

    ResponderExcluir
  2. @Net Esportes
    É verdade cara, guardadas às devidas proporções, a pressão no mundo capitalista que vivemos é a mesma em qualquer profissão.

    Sobre o Cuca ouvir gatos miando, é o Cuca né? hehehehe

    Valeu!

    ResponderExcluir
  3. Imagino como deve ser mesmo a pressão que o treinador sofre... Não que os jogadores não sofram, mas o índice de demissão de treinadores é muito mais alto, né?

    ResponderExcluir
  4. Realmente deve se uma pressão enorme no mundo do futebol, tanto pra dirigente, jogador, treinador...

    Mas eu penso que todos nós sofremos pressão no dia a dia, tanto profissional e pessoal també. Eh saber administrar a situação e estar atento com a nossa saúde mesmo.

    ResponderExcluir
  5. @Thiago Senra
    Voltando a fazer um comparativo com o mundo empresarial. Quando um time vai mal, a primeira opção é demitir o treinador, nas empresas, normalmente se mexe no pessoal antes de mexer na diretoria.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...