terça-feira, 19 de julho de 2011

Ele voltou...

Salve salve caros amigos. Depois de um longo e tenebroso inverno, justificando minha ausência, cá estou a postar novamente. Mas calma aí galera. O título não se refere a mim, obviamente. E sim, ao ilustríssimo Sr. José Maria Almeida. Ué, não reconheceram? Trata-se nada mais, nada menos que o barbeiro do LP, em Juiz de Fora. E o que isso tem a ver com o blog? Se puxarmos na nossa memória (desde que não seja seletiva), vamos recordar que esse aprazível cidadão juizforano já foi notícia aqui no blog, quando defendeu a idéia (pasmem!) de que o torcedor, albergado no estatuto do torcedor, tem direito a que o jogador de seu time expulso seja substituido por outro, haja vista ter pago para assistir uma partida de 11 contra 11.


Até então o fato passaria despercebido, restrito a conversa de botequim ou ao seu salão, onde LP dá um trato na cabelereira. Mas o negócio foi ganhando proporção de tal modo que o hoje vereador da cidade juizforana, Dr. José Tarcísio Furtado (PTC) abraçou a idéia e incluiu o assunto para ser debatido em audiência na câmara municipal. O que de fato ocorreu no dia 11 último, por incríveis 2 horas!!!




Por óbvio, não é da competência de uma Câmara Municipal legislar sobre o assunto. A casa legistlativa municipal, como reflexo das outras casas legislativas (Cârmara de Deputados), tem a função precípua de fiscalizar os órgãos do poder Executivo, aprovando ou reprovando suas contas, bem como sua função mais conhecida, criar leis de interesse local, no caso, municipal (Art. 29, inciso XIII da Constituição da República).


E aí cabe a pergunta, como conseguiram discutir o assunto por 2 horas dentro de uma órgão que não tem competência para apreciar o assunto???


A justificativa do vereador autor da proposta é de que embora não fosse possível alterar a questão naquela sede, os legiferantes da câmara juizforana pretendiam lançar o gérmem para uma discussão que chegasse até a esfera da FIFA futuramente, que é quem tem competência para discutir e alterar regras do futebol. Vejamos:



- Não quer dizer que tem possibilidade hoje. Os cientistas chamados de louco no passado, eles hoje têm as suas ideias postas em prática. A lâmpada quando foi descoberta por Thomas Edison...Ela está aí, iluminando aí. Você está entendendo? Igual Isaac Newton. Ele teve lá suas teorias no passado. Chamaram ele de louco. Então, são coisas que às vezes são de louco, mas que no futuro vão ter seu fundamento. É baseado nisso que estou fazendo essa proposta. Não estou querendo mudar nada. Estou querendo alertar a população e os dirigentes que isso (mudança na regra) é uma coisa viável e plausível.


Coitado de Newton. E o que a lâmpada tem a ver com essa sandice toda?!?!?!?


Certamente, seria mais proveitoso e de maior relevância pública que o assunto não fosse tratado na Câmara, mas no lugar por excelência em que todos os assuntos são bemvindos, sejam com fundamento ou não, seja ele proposto por Isaac Newton ou o cabelereiro do LP: no bar, com cerveja gelada na mesa e alguém com disposição para ouvir!


Fuiiiiiiii
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

4 comentários:

  1. Lamentável o caso Léo... só uma correção, ele se baseou na Constituição pra entrar na justiça (sim, ele entrou na justiça pedindo o dinheiro de volta de um jogo Tupi x Atletico, porque teve um jogador expulso, óbvio que o juiz não deu ganho de causa à ele).

    Se eu ficar explicando aqui eu tenho história pra contar por uns 2 dias, mas é melhor eu parar, afinal.. mês que vem ele tá lá cortando meu cabelo de novo né? Melhor não correr risco hehehe

    ResponderExcluir
  2. Este cabeleleiro e o tal vereador são 2 amantes do futebol para pensarem neste assunto. Agora os outros vereadores são loucos por aceitarem discutir esta idéia. Vou mandar um e-mail para a Fifa para reclamar do preço do IPTU da cidade..

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahaaha Boa Carlos!!!!!

    Mas vcs que porventura votem em JF, lembre-se de não eleger esse cidadão novamente. Eu poupei as críticas no post, para ser mais imparcial. Mas a verdade é que eu acho um completo absurdo um vereador levar esse tipo de assunto para a casa legislativa, consumindo o dinheiro público.

    LP, o único fundamento que ele encontra na Constituição é o princípio da inafastabilidade do Poder Judiciário, que preconiza que o Poder Judiciário não pode se esquivar de apreciar as matérias levadas até ele. E foi o que o Juiz fez. Ele apreciou para negar o pedido!!! Bom julgado!!!

    Por ultimo, penso que todo mundo é livre pra pensar e opiniar o que quiser, mas no local próprio, no tempo certo. Na barbearia, ótimo. No bar, também, mas não na seara legislativa, como foi o caso!!!

    ResponderExcluir
  4. Hoje em dia cada um acha que pode meter o bedelho onde quiser, sob a alcunha do "tenho direito". Mas da forma como é colocado, acaba virando essa anarquia que a gente vê, com vereadores pensando que podem mudar ou influenciar mudanças de esferas totalmente diferentes.

    E eu ainda to pensando no que esse vereador disse de Newton e Edison...
    Dá arrepio só de lembrar... =S

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...