segunda-feira, 20 de junho de 2011

A Copa América ideal

Começa em julho próximo a 43ª edição da Copa América. Atual bi-campeão da competição, o Brasil lutará para igualar o feito dos Argentinos que foram tri-campeões entre os anos de 45 e 47. Dominante no continente, a equipe verde amarela venceu 4 dos últimos 5 torneios período que coincinde com a fila argentina que está desde 93 sem títulos com a equipe principal.

E a aposta argentina para sair da fila será o fator casa. Das 8 vezes que sediou o torneio, os hermanos foram campeões em 6 e vice em 1. Além disso conta com Messi, duas vezes seguido melhor jogador do mundo. Dono de inúmeros títulos com o Barcelona, falta a Messi justamente uma vitória com a seleção principal de seu país (ele foi campeão sub-20 em 2005 e olímpico em 2008).

Já classificado para a próxima Copa do Mundo e Copa das Confederações, o Brasil fará poucos jogos oficiais nesses 3 anos de preparação. Por isso esse torneio passou a ser fundamental para Mano Menezes que ainda não venceu seleções top 20 do ranking da FIFA (derrotas para Argentina e França e empate com a Holanda).

Outra seleção que gera expectativa é a uruguaia. Mais bem colocada seleção sul-americana na última Copa do Mundo e vice-campeã sul-americana sub 20, a seleção de Óscar Tabarez está sem vencer o torneio desde 95.

E apesar da América do Sul nos últimos anos só ter vencido torneios internacionais com o Brasil, o continente passa por um equilíbrio de forças há muito tempo não visto. E o ranking da FIFA (que não serve para muita coisa mas que às vezes funciona) talvez seja um bom parâmetro para isso já que pela primeira vez nos últimos sei lá quantos anos 3 seleções do continente aparecem no top 10 (BRA - 3º, ARG - 5º e URU - 7º).

A lamentar apenas a ausência da fortíssima seleção japonesa, atual campeã asiática, e que com certeza brigaria pelo título. Em seu lugar virá a Costa Rica (candidata a saco de pancadas). Outra ausência será a do "México" que por estar disputando a Copa Ouro enviará uma equipe mista (jogadores sub-23 e uns outros pernas de pau).

Isso nos leva ao norte do continente. Dominantes na CONCACAF, México e EUA disputam sozinhos o torneio continental (são 5 títulos pra turma do Chaves e 4 pro Homer). Com jogos muito mais fracos do que os disputados na América do Sul, ambos times chegarão logo logo a um momento de estagnação. Mas como o que vale é o torneio da sua confederação, preferem concentrar suas forças num torneio mais fraco do que "pelejar" contra Brasil, Uruguai ou Argentina.

Muitas vezes visto como um continente de apenas duas forças, a América passa por um momento de reformulação. Jogadores mexicanos, uruguaios, chilenos e paraguaios já brilham em elencos europeus junto dos tradicionais brasileiros e argentinos. Uma utópica Copa Panamericana com 15 equipes renderia com certeza um torneio atrativo e com qualidade. Uma pena que a política impede isso.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

6 comentários:

  1. Bruno,

    mto legal vc falar isso.
    Eu sempre defendi uma copa Panamericana, com Conmebol e Concacaf juntos.

    Seria nos moldes do que ocorre na Europa, que tem até eliminatórias.

    Uma pena mesmo essa segregação.

    Outro fato importante destacado por vc é o fato de termos 3 candidatos ao título. Dificil acontecer mesmo. Acredito que vá ficar entre Argentina e Brasil, apesar do bom momento uruguaio.

    ResponderExcluir
  2. Seria fantástico essa Copa, já falamos sobre isso aqui uma vez com relação aos clubes na Libertadores e na Copa da Concacaf e acho que entre as seleções seria muito mais atrativo também.

    Só um detalhe: A fortíssima seleção japonesa foi fogo hein hehehehe

    Mas conhecendo bem meu camarada Bruno, eu sei que foi só um modo irônico ativado hehehe

    ResponderExcluir
  3. Esta Copa América para mim não tem favoritos. Talvez Argentina por jogar em casa e com a chance de Messi jogar bem também na seleção nacional. O Brasil, claro, também entra forte. Agora uma Copa Panamericana seria perfeito.

    ResponderExcluir
  4. Verdade, uma copa panamericana, com elminatórias, seria uma boa. Disputas oficiais durante um bom tempo, sem necessidade amistosos contra Zâmbia em Londres...

    ResponderExcluir
  5. A minha idéia da Copa Panamericana não seria nesses moldes que o Thiago falou, seria tipo uma Eurocopa: com um país sede e a disputa correndo durante 3 a 4 semanas.

    As eliminatórias para a competição sim, poderia durar 1 ano ou mais.

    Seria a Euro Americana

    ResponderExcluir
  6. Acho que me expressei mal, eu queria falar sobre isso mesmo. Eliminatórias na maior parte do tempo.

    A ideia do país sede é uma boa tb, como já acontece atualmente nas edições da Copa América.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...