terça-feira, 10 de agosto de 2010

CBF x Flamengo

Salve salve caros amigos leitores. Hoje venho com uma sugestão de tema do nosso presidente bloguiano molusco (Luiz Paul!). E a fonte da informação é o site de notícias Uol (http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2010/08/09/fla-votara-possivel-exclusao-de-ricardo-teixeira-do-quadro-de-associados.jhtm).

Trata-se da possível exclusão do Senhor Ricardo Teixeira, presidente da CBF e reconhecidamente flamenguista, do quadro de associados do Clube de Regatas Flamengo, por ferir estatuto do clube ao deixar de zelar pelo patrimônio do clube, no episódio Taça das Bolinhas.
Ora, por mais que eu tenha asco do presidente da CBF, um oportunista nato, não há cabida para exclusão dele do quadro de sócios do Flamengo, por conta da sua "inércia" no episódio da Taça de Bolinhas. Houve uma comissão formada dentro da Confederação Brasileira de Futebol que orientou, de forma fundamentada, que o título de 87 ficasse mesmo com o rubronegrinho Sport. Por mais que discordemos, nós flamenguistas, da decisão, temos que nos conscientizar que a CBF é um órgão nacional, não regionalizado. E mais, ainda que eu, particularmente, considere o Flamengo o legítimo campeão de 87, assim como o São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Santos, Grêmio, Internacional, Flamengo, Vasco da Gama, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro, Atlético Mineiro e Bahia, clubes fundadores do clube dos 13, hoje uma entidade filantrópica para os falidos clubes, mas na época, nada mais nada menos que organizadora do campeonato brasileiro de 87, a verdade é que temos que acatar a decisão da CBF e parar com essa história chatinha. O próprio Sport já referendou a possibilidade de "divisão" do título.

Enfim, o tópico de hoje é sobre a exclusão do senhor Ricardo Teixeira do quadro de beneméritos do Flamengo. E quanto a isso sou contra. Esse artigo do estatuto do CRF, compreende punir aquele sócio que não zela pelo patrimônio do clube. Imaginemos aqui uma situação hipotética em que um sócio promova atos de vandalismo no clube. Resta configurado o disposto no artigo. Mas no caso da Taça de Bolinhas (muito feinha, por sinal!), não há espaço para aplicação de tal artigo, até porque ela nunca pertenceu ao Flamengo. Havia tão somente uma mera expectativa de que viesse a pertencer, o que não se concretizou com a decisão última da CBF, presidida pelo senhor Ricardo Teixeira. Assim é que não cabe questionar a decisão do presidente, que em um arroubo democrático, apenas acatou a decisão de uma comissão interna formada para averiguar o caso.
Em tempo, quem defende a exclusão de Ricardo Teixeira do quadro de associados é ninguem menos que o senhor Leonardo Ribeiro, conhecido como capitão Leo, hoje presidente do conselho fiscal (qual o interesse fiscal nessa questão?), ex presidente de uma facção de torcida organizada, considerada a mais bandalheira, violenta e sem propósito do Clube de Regatas Flamengo.
Tem coisas que só acontecem no Flamengo.... Vai ter trabalho aí em Galo...
Fuiiii

Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 comentários:

  1. Resumiu bem a minha opinião. Quando te propus o tema não dei minha opinião, até porque que queria saber se eu tava pensando certo, apesar de detestar Mr. Teixeira.

    Sobre a taça das bolinhas to achando que pode haver uma reviravolta nisso com a briga entre Caixa Econômica Federal e CBf... é aguardar os próximos capítulos...

    ResponderExcluir
  2. Não sei se entendo muito bem, mas pq essa taça não estava na Gávea desde 1992? O Flamengo a pleiteou só depois do São Paulo ter a posse dela?

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, o Flamengo sempre a requisitou. E começou em 92. Só que depois disso diversas coisas aconteceram, inclusive uma demanda judicial do Sport, o que fez a CBF recuar na intenção de dar a taça ao Flamengo, repito, embora a entidade considere oficialmente o Flamengo pentacampeão.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...