quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sai que é sua!

Quem está lendo o título dessa postagem logo vai imaginar que vou falar sobre o Taffarel e suas defesas. Mas hoje, vou falar de um personagem que não é exatamente um jogador, mas faz parte da memória esportiva e com certeza do folclore brasileiro. Estou falando de ninguém menos que Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno, ou simplesmente, Galvão Bueno.

Ou alguém vai me dizer que ele não é folclórico?? Duvido que algum brasileiro que esteve no planeta Terra nos últimos 30 e poucos anos não saiba recitar pelo menos um dos seus bordões!

No meu caso, Galvão existe desde tempos imemoriais, já que desde que nasci ele é o cara que narra as principais competições esportivas da Rede Globo, onde chegou depois de passar pela Rádio Gazeta, Record e Rede Bandeirantes.


Como não poderia deixar de ser, e nem poderia deixar de citar, o educador físico Galvão Bueno é conhecido por ser alvo de campanhas não muito amistosas, como a campanha "Cala a Boca, Galvão!", que chegou a ser falada no mundo todo via Twitter. Não por acaso, pois muitos não gostam quan
do ele afirma categoricamente algo que não é necessariamente uma verdade universal... E, claro, protagoniza grandes gafes nas transmissões.

Mas alguns momentos simplesmente entram pra história e não saem da memória do torcedor comum. Mas, caso tenha saído da memória de alguém, vou ajudar a enumerar alguns momentos marcantes da carreira esportiva do nosso amigo global:



Jogos Olímpicos de 1984: Narrou a maratona que virou símbolo do espírito olímpico, quando Gabriele Andersen chegou mais de 20 minutos depois da vencedora, cambaleando pelo estádio. Ela jura que tem vergonha dessa cena. Será que foi pela narração do Galvão? "CRUZOOOOU!!!

Fórmula 1: Esteve presente nas principais provas desde... ah, sei lá desde quando... Mas sem dúvida o que marcou sua carreira foi narrar o acidente fatal de Ayrton Senna, em 1994. Na ocasião, inclusive, foi liberado da cobertura juntamente com Reginaldo Leme para ir ao velório do piloto, pois eram amigos pessoais.

Copa do Mundo de 1994: Na Copa dos sonhos de qualquer narrador de futebol, Galvão simplesmente foi o divisor de águas da transmissão futebolística. Criou bordões e proferiu frases que marcaram, e foi pivô de uma das cenas de bastidores mais vistas na internet até hoje, ao falar sobre Pelé, que era comentarista naquela ocasião.


Copa do Mundo de 1998: "Não era o dia do futebol brasileiro..." Não preciso dizer em qual ocasião foi, né?


Jogos Olímpicos de 2000: Alguém acha familiar a expressão "É PRATA É PRATA É PRATA É PRATA É PRATA!"? Pois foi isso que ele gritou quando a equipe brasileira de revezamento 4x100 masculina conquistou o segundo lugar na ocasião.

Copa do Mundo de 2010: Ao final da transmissão da final, Galvão afirma que aquela era a última final de Copa a ser narrada fora do Brasil. Ou seja, 2014 é o seu último mundial de futebol. Mas havemos de convir: ele não falou que se aposenta em 2014. Alguém realmente acha que ele perde a oportunidade de se aposentar com os Jogos Olímpicos no Rio?

Bom, se eu ficasse aqui relembrando, com certeza teria muito mais a dizer, pois gostem ou não gostem, Galvão Bueno participou dos principais momentos esportivos brasileiros, e isso a gente tem que engolir! (Mas essa é do Zagallo... =P)


Ah sim, já ia me esquecendo... Não vou deixá-los curiosos, vou deixar aqui o link do tão famoso vídeo de bastidores de que falei... Haaaaaja, coração!

http://www.youtube.com/watch?v=eeVNVWzf2O4


Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Thiago e sua ironia hehehe

    É notável que o Galvão Bueno conquistou seu espaço como também é notável que ele é chato demais. O problema é que pelo monopólio (que vem acabando) criado pela Globo nos últimos anos ele tem se destacado mais que os outros.

    As campanhas que fazem contra ele funcionam com efeito contrário, só aumentam o Ibope dele, todo mundo quer ver para saber se ele vai reagir e como vai reagir. Quem não se lembra do final do jogo Brasil x Chile na Copa de 2010 quando ele fala: "e agora vamos à São Paulo no Vale do Anhagabaú" e quando corta a imagem tá todo mundo gritando "ei Galvão, vai tomar no c..." e ele de bate pronto: "vamos agora pra Belo Horizonte" hehehe

    Sobre a aposentadoria, com certeza será depois de 2016, se ele tiver vivo até lá...

    Valeu!!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...